CAMPISMO - CARAVANISMO - Dicas e Glossário -

DICAS DA SEMANA!


Para os que ainda não sabem qual a diferença entre um Motorhome e um Trailer ou ainda tem dúvidas, segue um resumo:


Motorhomes ou Motor Homes:

É um veículo que pode ser um ônibus,furgão, caminhão, caminhonete que oferece acomodações iguais de uma casa combinada com o motor do veículo, fabricado em cima do Chassi de um desses carros. Portanto o Motorhome tem auto-propulsão.






Nas fotos acima, carroceria construída em veículo de tração 4x4, Ford F4000.Desenvolvido com a participação de engenheiros e projetistas e o cliente. Planta baixa e modelo pronto.

conheça melhor em:http://www.victoriamotorhomes.blogspot.com.br/p/compre-rv-novo.html

RV ( sigla usada comumente para determinar Veículo de recreio ou originalmente Recreation Vehicle), é muito comum nos Estados Unidos, Reino Unido e Canada bem como na Europa.O motorhome remonta à década de 1920, embora tenha havido versões caseiras supostamente anteriores que antecedem este tempo.

Em alguns países:
Na Alemanha , um motorhome é referido como um "Wohnmobil".
Na França , um motorhome é chamado de "camping-car".
Na Itália , o termo "Camper" é usada para significar motorhome.
"Auto Caravana" ou "Auto-Caravana" é usada na Espanha e Portugal .
Na Suécia , o termo "Husbil" significa motorhome.
Na Austrália e Nova Zelândia , o termo autocaravana é freqüentemente usado para motorhomes menores, e o termo housebus é freqüentemente usado para motorhomes maiores.
Em alguns países, a denominação comum Winnebago tem sido largamente generalizado para se referir a qualquer motorhome.
No Brasil, o motorhome é chamado de: Motor casa, Casa ambulante, Casa com rodas, Casa rodante, Motor Home, são classificados como classe A, B, B + e C, dependendo do tamanho.
Tem ainda os RV's da modalidade Camper.


Aqui no Brasil, a fabricação destes RV's iniciou-se na década de 1960.


Existe toda uma legislação específica para esse tipo de veículo, os documentos devem constar como: utilitário/especial/motor casa e a habilitação necessária pode variar de B a D dependendo do peso total e do número de passageiros.


Alguns modelos fabricados no Brasil:














Trailers ( Reboques)





Um reboque, atrelado ou trailer ("reboque" em inglês) é um veículo de carga que consta minimamente de chassis, rodas, freios e superfície de carga. Para obter movimento, se engancha a um veículo automotor, como carros de passeio, caminhões ou tratores.
Por tanto, ele não tem motor próprio.








Existe os reboques ou trailers que são construídos para servir de moradia temporária, escritório, lazer e comercial.
O trailer, assim como qualquer reboque, possui documentação própria e depende de renovação anual e pagamento de taxa de licenciamento. Atualmente no Brasil a categoria para puxar um Trailer pode variar entre B a D dependendo do peso bruto total.




Alguns modelos fabricados no Brasil:









Conheça a fábrica deste tipo de Trailers em: http://www.apolotrailer.com.br/


Saiba mais sobre a história dos RV's em www.mamcap.com.br


Para conhecer mais sobre essa modalidade e estilo de veículo, acompanhe o programa de Campismo Brasileiro em:



www.nosdejoinville.com.br

O estilo de vida RV é composta por aqueles interessados ​​em viajar e acampar ao invés de viver em um único local, bem como por turistas ou até para trabalhar.
Existe os que querem ficar acampados em um local apropriado para receber seus equipamentos com estrutura adequada, coisa que aqui no Brasil ainda tem muito que crescer, como tem aqueles que resolvem aventurar-se pelo mundo, rodando com sua casa nas costas, hoje encontramos muitas pessoas que resolveram vender tudo e viver dentro de um RV.


Nossos pensamentos e nossos conceitos sobre os estilos de vida que as pessoas escolhem, também são construídos com o que assistimos, lemos ou vivenciamos, portanto quem tem a mídia a seu favor, tem por obrigação procurar mais informações e conhecimento sobre o assunto que abordará amplamente seja ele em nível nacional ou não.


Fico aqui na bronca com nossos colegar de profissão, para que usem mais o google.
Acredito que em um futuro não muito distante todas as mentes estarão mais abertas, seja elas das autoridades, mídias, empresários e os Futuros Campistas do Brasil.


Keila


Resolução do CONTRAN Atinge Caravanistas

Data de publicação: 03 de dezembro de 2013 - 08:52 por Marcos Pivari - Portal MaCamp

Já foram várias as resoluções relativas ao trânsito e documentação que afetaram motoristas caravanistas no Brasil nos últimos anos. A nova resolução 460 do CONTRAN que visa aumentar a segurança dos motoristas profissionais acabou atingindo também os caravanistas que possuem, em sua grande maioria, a carteira tipo "D".




Embora no ano de 2010 o campismo tenha obtido uma grande vitória com a mudança de lei que assegura que grande parte dos trailers e motor homes sejam conduzidos com carteira de habilitação de categoria "B", a atualmente a grande maioria dos condutores possuem habilitação dos tipos "C", "D" e "E" exatamente pela necessidade legal dos 13 anos anteriores. Apesar deste tipo de motorista não atuar no cenário profissional dos transportes acabou sendo abrangido pela nova Resolução do CONTRAN, de número 460" que exige um teste toxicológico no momento da renovação da carteira.

O que virou polêmica entre os caminhoneiros sobre o resguardo da segurança para que evitem as drogas que auxiliam na dupla ou tripla jornada de trabalho, onde reclamam principalmente do custo do tal exame que seria arcado por eles próprios (algo em torno dos R$ 450,00), também atingiu os caravanistas que teriam que passar pelo mesmo processo mesmo dirigindo equipamentos particulares com fins de lazer.

No meio caravanista, nenhum problema existiria se a resolução apenas incluísse tal obrigação aos motoristas que constassem em suas habilitações a observação "exerce atividade remunerada". Porém esta condição não é citada e muitas dúvidas ainda existirão.





Confira na íntegra a nova resolução:


Resolução CONTRAN Nº 460 DE 12/11/2013


Publicado no DO em 27 nov 2013
Altera a Resolução nº 425, de 27 de novembro de 2012, que dispõe sobre o exame de aptidão física e mental, a avaliação psicológica e o credenciamento das entidades públicas e privadas de que tratam o art. 147, I e §§ 1º a 4º, e o art. 148 do Código de Trânsito Brasileiro.
O Conselho Nacional de Trânsito - CONTRAN, no uso das competências que lhe confere o artigo 12, incisos I e X, da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, que instituiu o Código de Trânsito Brasileiro - CTB, e conforme o Decreto nº 4.711, de 29 de maio de 2003, que dispõe sobre a coordenação do Sistema Nacional de Trânsito e;
Considerando que, nos termos do art. 1º, § 2º, do CTB, o trânsito, em condições seguras, é um direito de todos e dever dos órgãos e entidades componentes do Sistema Nacional de Trânsito, cabendo a estes, no âmbito de suas respectivas competências, adotar as medidas destinadas a assegurar esse direito;
Considerando que a regulamentação do processo de habilitação para condução de veículos automotores é competência do Conselho Nacional de Trânsito - CONTRAN, conforme art. 141 do CTB;
Considerando que a Resolução CONTRAN nº 425, de 27 de novembro de 2012, que dispõe sobre o exame de aptidão física e mental e a avaliação psicológica dos candidatos exige expressamente, em seu art. 4º, inciso II, alínea b, a necessidade de verificação de indícios do consumo de substâncias psicoativas para a renovação e adição de categoria da Carteira Nacional de Habilitação - CNH; e
Considerando a Lei nº 12.619, de 30 de abril de 2012, que dispõe sobre o exercício da profissão de motorista, e ainda o que consta do Processo Administrativo nº 80000.025615/2012-20,
Resolve:
Art. 1º O inciso III do art. 4º da Resolução nº 425/2012, fica acrescido da alínea "g" e do § 3º, que passam a vigorar com a seguinte redação:
"Art. 4º .....
III - .....
g) exame toxicológico de larga janela de detecção para consumo de substâncias psicoativas, exigido quando da adição e renovação da habilitação nas categorias C, D e E (Anexo XIII)
§ 3º Para os fins deste artigo, considera-se exame toxicológico de larga janela de detecção aquele destinado à verificação do consumo ativo, ou não, de substâncias psicoativas, com análise retrospectiva mínima de noventa (90) dias, conforme lista constante do Anexo XXII desta Resolução."
Art. 2º Fica acrescido à Resolução nº 425/2012, o Capítulo VII - DO EXAME TOXICOLÓGICO DE LARGA JANELA DE DETECÇÃO, COM A SEGUINTE REDAÇÃO:
"Art. 30 O candidato deverá realizar o exame médico toxicológico de larga janela de detecção, em clínica homologada pelo DENATRAN e credenciada pelo órgão executivo de trânsito do Estado ou do Distrito Federal e apresentá-lo no momento da realização do exame médico necessário à adição ou renovação da CNH.
§ 1º O exame mencionado no caput tem validade de 30 dias a partir da data de sua expedição pela clínica homologada e credenciada para realização do exame toxicológico de larga janela de detecção.
§ 2º Poderá ser apresentado exame toxicológico de larga janela de detecção descrito na lei 12.619/2012, quando este exame encontrar-se em conformidade ao estabelecido nesta Resolução e seus anexos.
Art. 31 O médico, credenciado pelo DETRAN e responsável pela avaliação do laudo do exame médico toxicológico de larga escala de detecção, deverá
considerar o candidato inapto temporário, na forma do que prevê o art. 8º, inciso III, da Resolução CONTRAN nº 385/2012, na hipótese de o exame previsto no art. 30 acusar o consumo de qualquer uma das substâncias constantes do Anexo XXII desta Resolução em níveis que configurem uso ilícito da substância detectada.
§ 1º A constatação do uso ilícito de substância psicoativa é atribuição do médico credenciado, que considerará, além dos níveis da substância detectada no exame, o uso de medicamento prescrito, devidamente comprovado, que possua em sua formulação algum dos elementos constantes do Anexo XXII desta Resolução.
§ 2º O candidato que deixar de apresentar o exame toxicológico de larga janela de detecção será considerado inapto e inabilitado.
Art. 32 No caso de o candidato ser considerado inapto temporário, na forma como prevê o caput do art. 31 é facultado ao candidato realizar novo exame toxicológico de larga janela de detecção, decorridos 90 (noventa) dias da data da realização do exame médico, o qual, se apontar resultado negativo, permitirá que o candidato seja considerado apto.
Art. 33 Independente do resultado apurado, todos os exames toxicológicos de larga janela de detecção realizados com base nesta Resolução serão utilizados, de forma anônima e com fins estatísticos, para a formação de Banco de Dados para análise da saúde dos motoristas com vistas à implementação de políticas públicas de saúde.
Parágrafo único. Às informações armazenadas, contendo o resultado dos exames toxicológicos de larga janela de detecção, poderão ser disponibilizadas mediante determinação judicial para instrução de processos relativos a acidentes de trânsito.
Art. 34 Caberá ao DENATRAN homologar as entidades que realizam o exame toxicológico de larga janela de detecção, dentro das especificações contidas nesta Resolução.
Art. 35 Os órgãos executivos de trânsito dos Estados e do Distrito Federal, responsáveis em credenciar as clinicas médicas e laboratórios homologados pelo DENATRAN para proceder a coleta do material necessário ao exame, assim como a avaliação do laudo do exame médico toxicológico de larga janela de detecção, deverão disponibilizar em seu sítio os nomes das entidades credenciadas para a realização destes serviços."
Art. 4º O exame toxicológico de larga janela de detecção passará a ser exigido na hipótese de adição ou renovação para as categorias C, D e E previstas no art. 143 daLei nº 9.503/1997, após 180 (cento e oitenta) dias contados da data de início de vigência desta Resolução, excluindo-se os processos de habilitação que já tenham sido iniciados nessa data.
Art. 5º A Resolução nº 425/2012, fica acrescida do Anexo XXII, que trata do Exame Toxicológico de larga janela de detecção.
Art. 6º Esta Resolução entra em vigor em 1º de janeiro de 2014.
MORVAM COTRIM DUARTE
Presidente do Conselho Em exercício
PEDRO DE SOUZA DA SILVA
p/Ministério da Justiça
MARIO FERNANDO DE ALMEIDA RIBEIRO
p/Ministério da Defesa
RONE EVALDO BARBOSA

p/Ministério dos Transportes
JOSÉ MARIA RODRIGUES DE SOUZA
p/Ministério da Educação
MARTA MARIA ALVES DA SILVA
p/Ministério da Saúde
LUIZ OTÁVIO MACIEL MIRANDA
p/Ministério da Saúde
JOSÉ ANTÔNIO SILVÉRIO
p/Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação
PAULO CESAR DE MACEDO
p/Ministério do Meio Ambiente
JULIO EDUARDO DOS SANTOS
p/Ministério das Cidades
ANEXO XXII
DO EXAME TOXICOLÓGICO
Exames:
1. Os exames toxicológicos deverão ser do tipo de "larga janela de detecção", os quais acusam o uso de substâncias psicoativas ilícitas ou licitas.
1.1 Os exames deverão testar, no mínimo, a presença das seguintes substâncias: maconha e derivados, cocaína e derivados incluindo crack e merla, opiáceos incluindo codeína, morfina e heroína; "ecstasy" (MDMA e MDA), anfetamina e metanfetamina.
1.2 Os exames deverão apresentar resultados negativos para um período mínimo de 90 (noventa) dias, retroativos à data da coleta.
1.3. O material biológico a ser coletado poderá - a critério do coletor - ser cabelos ou pelos; na ausência destes, unhas.
Laboratórios
2. Dada a natureza sensível do exame toxicológico, os laboratórios que o realizarem deverão possuir obrigatoriamente:
a) Certificado do CAP-FDT (Colégio Americano de Patologistas) de acreditação forense de teste de droga com o escopo de análise toxicológica de cabelo;
b) Experiência comprovada na prestação de serviços especializados de detecção do uso de substâncias psicoativas por exames de larga janela de detecção (queratina), em território nacional, por no mínimo 30 (trinta) meses;
c) Comprovação de estar inscrito e ter sua acuidade analítica aprovada por um programa de controle de qualidade independente e específico para os exames em tela, por, no mínimo, 12 (doze) meses anteriores ao credenciamento junto ao DENATRAN;
3. Preparação da Amostra e Análise e Armazenamento.
3.1. Manipulação da Amostra Todas as amostras deverão ser manipuladas exclusivamente em ambiente laboratorial preparado para evitar-se contaminação cruzada e/ou externa.
3.2. Descontaminação Externa Todas as amostras deverão passar por descontaminação externa por técnica cientificamente reconhecida.
3.3. Procedimentos de Extração A extração da droga deverá ser realizada por técnica cientificamente reconhecida.
3.4. Triagem Inicial Em relação à triagem inicial, serão utilizadas e aceitas cientificamente para triagem o radioimunoensaio (RIA) e o imunoensaio enzimático (EIA ou ELISA).

3.4.1. Com relação as anfetaminas, serão testadas, no mínimo, mazindol, fenoproporex, anfepramonas e dietilpropiona. Também deverão ser testados os anfetamínicos ilegais comumente chamados de ecstasy, ao menos o MDA (metilenodioxianfetamina), MDMA (metilenodioximetanfetamina). Serão também testadas as metanfetaminas (MA). Todas essas substâncias deverão ser reportadas de maneira independente.
3.4.2. A detecção do consumo de maconha será testada pela pesquisa de CTHC (carboxy-tetrahidrocanabinol), um metabólito do THC visando impossibilitar falsos positivos por exposição exógena. Outros metabólitos do THC também são aceitos, como hidroxi-tetrahidrocanabinol.
3.4.3. A detecção de cocaína será realizada pela pesquisa de ao menos os seguintes componentes: benzoilecgonina, cocaína, cocaetileno e norcocaina.
3.4.4. A confirmação se dará, em função da literatura científica existente para tal, por LC/MS/MS cromatografia líquida e/ou espectrometria de massa, ou equipamentos superiores a fim de se assegurar a fidelidade, segurança e acuidade dos resultados. Deverão ser utilizados apenas um equipamento por droga a fim de se evitar contaminação cruzada.
3.4.5. Como de praxe, para os exames toxicológicos em tela, serão colhidas duas amostras, de cabelos ou pêlos, no mínimo 100 mg cada, acondicionados em duas embalagens individuais, com lacres, apropriadas para tais coletas. Uma delas deverá servir para o exame completo, com triagem e exame confirmatório, a outra deverá ser armazenada por no mínimo 5 anos a fim de se dirimir eventuais litígios. Técnicas de descontaminação externa cientificamente válidas deverão ser utilizadas.
4. As entidades credenciadas para realização dos exames toxicológicos do tipo de "larga janela de detecção" e aquelas credenciadas para a coleta necessária a realização do referido exame, deverão estar listadas em site publico do DENATRAN e respectivos DETRANs, conforme determinado no artigo 8º e 9º desta resolução.
4.1 O DENATRAN poderá, a qualquer tempo, exigir a apresentação de documentos e atestados objetivando o fiel cumprimento desta Resolução e a segurança e continuidade do serviço.
Mapa Nacional de Consumo de Drogas
5. Os laboratórios credenciados deverão fornecer ao DENATRAN dados estatísticos, on line, em tempo real dos exames negativos e positivos segmentados por município. Nos exames positivos, deverão ser informadas as drogas detectadas, bem como a quantidade estimada de consumo. Tais dados estatísticos deverão ser anônimos a fim de se resguardar a intimidade e a privacidade do doador e o caráter sigiloso do exame.
Unidades de coleta:
6. A coleta do material biológico (cabelos, pelos ou unhas) deverá ser testemunhada por no mínimo 2 (duas) pessoas, sem o que não será considerada juridicamente válida para os fins previstos na Resolução em tela.
6.1 A coleta será realizada obrigatoriamente por coletores treinados e certificados pelos laboratórios fornecedores da análise especializada, nas entidades homologadas e credenciadas de coleta pelo DETRAN e/ou pelo DENATRAN, em conformidade com o artigo 16 da Resolução nº 425, de 27 de novembro de 2012

6.2 Unhas serão coletadas exclusivamente no caso de alopecia universal ou condição médica que impeça a coleta de cabelos e/ou pelos. O candidato visivelmente depilado será considerado inapto para realizar o exame.
6.3 As regras abaixo deverão ser aplicadas pelas unidades de coleta formando o primeiro passo para a cadeia de custódia que poderá ser utilizada caso o resultado seja contestado pelo doador:
a) Verificação da identidade do doador;
b) Assinatura e coleta da impressão digital do doador no formulário de coleta;
c) coleta de duas amostras por doador acondicionadas em envelopes próprios separados e lacrados individualmente;
d) Assinatura de testemunha, além do coletor, no formulário de coleta;
e) Identificação através de um mesmo número para o formulário de coleta e os envelopes de coleta;
f) Lacre da amostra juntamente com o formulário de coleta na frente do doador.
6.4 A unidade de coleta deverá realizar contrato de 5 (cinco) anos com apenas um fornecedor dos exames dentre os credenciados pelo DENATRAN.



No trailer, Motor-home, Barcos, ônibus, barraca e até para auxiliar pessoas idosas ou inválidas, um ótimo recurso é ter um sanitário químico.
Existem alguns tipos básicos que são fabricados em plástico e são leves e confortáveis.
O tipo mais conhecido é o Porta-Potti.
Modelo NAUTIKA ECOCAMP, capacidade 20L (ver na lojinha da Vic)

 Este é um sanitário portátil que serve para pequenos trailers, barracas, barcos e até para idosos ou deficientes pela possibilidade de usar em qualquer lugar. Ele é composto de dois módulos acoplados.

 A parte de cima é a bacia. Ao redor está um tanque de água pura que pode ser misturada a um pouco de desinfetante. Uma bomba sanfonada manual injeta água para a descarga. A parte inferior é o tanque de detritos que deve ser tratado com 1/4 do vidro de produto de ação bactericida, um líquido azul, especial para o tratamento dos detritos, pois além da ação bactericida, ele transforma todo o detrito sólido em líquido.
Opção de desodorizante em pó-Desodorizador e desintegrante de dejetos sanitários.
Produto neutro e biodegradável.(ver na lojinha da Vic)

 O produto mais conhecido é o “Aqua Kem®” e pode ser adquirido em lojas especializadas em artigos para camping e náutica e fábricas de motor casas.
Também é usado em ônibus rodoviários e em iates. Nunca deposite o produto no tanque de descarga, pois manchará a bacia. Além do produto líquido, também há outro em forma de saches, que são jogados diretamente no tanque.
*Muitas pessoas utilizam o sanitário portátil para idosos com certa dificuldade de locomoção. Pode ser deixado ao lado do leito, dispensando a caminhada até o banheiro. Pode ser utilizado com a própria cadeira de banho usual ou sentando-o diretamente no sanitário, tomando-se os devidos cuidados, já que sem o uso da cadeira de banho, o produto torna-se não específico.

Ambos os módulos são separados por uma comporta de alavanca manual. Antes de utilizar o sanitário, aperte a descarga para que fique um pouco de água no fundo e assim evitando grudar detritos na bacia. Após fazer as necessidades fisiológicas abra a comporta puxando a alavanca e os detritos cairão no tanque já tratado. Dê mais descarga para a total limpeza da bacia e feche a comporta. Após o tanque cheio com a comporta fechada, destaque a parte inferior e dirija-se a um sanitário normal, despeje o detrito e lave-o bem. Coloque o produto e o sanitário está pronto para usar novamente.

Outro tipo de sanitário é o tipo Aqua-Magic.
Este é um vaso sanitário fixo para veículos de recreio, embarcações e veículos especiais que contam com um tanque de detritos (holding tank) ou uma tubulação de esgoto quando estacionado. O tratamento do tanque de detritos é o mesmo do tanque do Porta-Potti, mas com as devidas proporções do produto e da capacidade do tanque. Geralmente os trailers contam com uma abertura do tanque por uma alavanca manual. 
Já nos Motor Homes, o tanque é equipado com uma comporta pneumática em que no veículo recolhido ao acostamento das estradas ou num lugar apropriado o motorista aciona a abertura e libera os detritos.

Apesar de ser um equipamento caro, o sanitário portátil é uma boa opção para quem acampa. Infelizmente a maioria dos  campings do Brasil não contam com banheiros confortáveis e limpos. Além disso, pode-se administrar melhor o uso sanitário das crianças e evitar passeios compulsórios durante a noite. 


Até a próxima dica!
Keilamiers

Matéria doPortal Macamp


DENATRAN reforça isenção de Motor Homes em pesagem nas balanças


SECRETARIA EXECUTIVA

DEPARTAMENTO NACIONAL DE TRÂNSITO

PORTARIA Nº 85, DE 27 DE MARÇO DE 2013

O DIRETOR DO DEPARTAMENTO NACIONAL DE
TRÂNSITO - DENATRAN, no uso das atribuições legais que lhe
foram conferidas pelo Art. 19, incisos I, V e XIX, da Lei n° 9.503, de
23 de setembro de 1997, que institui o Código de Trânsito BrasileiroCTB;

Considerando a necessidade de garantir a segurança e agilizar as operações nos postos de pesagem das rodovias;

Considerando a necessidade de aprimorar as ações que estabelecem os procedimentos de incentivo ao turismo no país; e
Considerando o que consta nos processos
80000.025997/2012-91, 80000.033135/2012-32 e
80000.024605/2012-77, resolve:

Art. 1º. O parágrafo único do artigo 8° da Portaria DENATRAN n° 870/2010 passa a vigorar com a seguinte redação:

"Art. 8° ...
Parágrafo único. Para efeito do disposto neste artigo, entende-se que 'VEÍCULOS PESADOS' correspondem a ônibus, micro-
ônibus, caminhão, caminhão-trator, trator de rodas, trator misto, chassi-plataforma, reboque ou semirreboque e suas combinações."

Art. 2º. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

ANTONIO CLAUDIO PORTELLA SERRA E SILVA
http://www.denatran.gov.br/download/Portarias/2013/PORTARIA%20N%C2%BA%2085.pdf


Considerando a opinião do Campista Marcos Pivari do Portal Macamp, transcrevemos:

Era uma discussão antiga. Algumas preocupações até exageradas. Outros casos eram reais de multas ou advertências pela pesagem dos motor homes. Para amenizar o setor, uma nova portaria do DENATRAN vem isentar os motor homes da obrigação da pesagem nas rodovias, mas atenção: Legalmente só valerá aos que possuam a palavra "motor-casa"na documentação. 

A portaria ainda é um tanto confusa, pois apesar de retirar o termo "motor-casa" da lista dos "veículos pesados", ainda pode gerar interpretações erradas, pois outros termos como "ônibus"e "caminhão" geralmente acompanham a categoria na documentação. Também coloca como "veículos pesados" simples carretinhas onde poderá trazer ainda muitos problemas aos campistas do Brasil.
Marcos Pivari


Fique ligado!


Caiu a lei que exige CNH E para rebocar trailers e CNH D para motor homes desde que não ultrapassem 6.000kg ou 8 lugares, excluindo o motorista.


ENTENDA MELHOR:

A partir de 22 de julho de 2011, o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) realizou alterações no artigo 143 da lei n° 12.452. As mudanças dizem respeito à habilitação para para trailer e motor-home.

Antes da decisão do CTB, era necessário possuir Categoria E para condução de trailer. Agora o veículo será enquadrado em uma categoria de acordo com o peso do reboque.


Para dirigir motor-home, estão aptos os motoristas com habilitação Categoria B, desde que o veículo não ultrapasse 6.000 kg e 8 passageiros. O CTB considera motor-home “veículo automotor cuja carroçaria seja fechada e destinada a alojamento, escritório, comércio ou finalidades análogas”.



É considerado trailer o reboque ou semi-reboque tipo casa, com duas, quatro, ou seis rodas, acoplado ou adaptado à traseira de automóvel ou camionete, utilizado em geral em atividades turísticas como alojamento, ou para atividades comerciais.
Após essa mudança, o artigo 143 do Código de Trânsito Brasileiro passa a ser da seguinte forma:


II – Categoria B – condutor de veículo motorizado, não abrangido pela categoria A, cujo peso bruto total não exceda a três mil e quinhentos quilogramas e cuja lotação não exceda a oito lugares, excluído o do motorista.
§ 2o São os condutores da categoria B autorizados a conduzir veículo automotor da espécie motor-casa, definida nos termos do Anexo I deste Código, cujo peso não exceda a 6.000 kg (seis mil quilogramas), ou cuja lotação não exceda a 8 (oito) lugares, excluído o do motorista.

V – Categoria E – condutor de combinação de veículos em que a unidade tratora se enquadre nas categorias B, C ou D e cuja unidade acoplada, reboque, semirreboque, trailer ou articulada tenha 6.000 kg (seis mil quilogramas) ou mais de peso bruto total, ou cuja lotação exceda a 8 (oito) lugares.


ABRACAMPING

Órgãos de Campismo


»Associação Brasileira de Campismo


A ABRACAMPING sirgiu no final da década de 1990 e teve como maior aparição a largada na luta pela reparação do item do Código Nacional de Trânsito de 1997 que exigia a carteira nacional de habilitação tipo "E" para condução de trailers, mesmo que pequeninos. A lei teve êxito somente no ano de 2011, mas a associação foi perdendo espaço pelo menos na mídia.

Secretarias articulam para criação do Camping de Brasília

Jornal de Brasília

Com a chegada dos grandes eventos na capital do Brasil uma crescente quantidade de visitantes deve vir a Brasília nos próximos anos. Para fortalecer ainda mais o turismo na cidade e garantir que sejamos um destino apto a receber os mais diversos tipos de público a Secretaria de Turismo do Distrito Federal (SETUR-DF) está trabalhando para criar uma área de camping, ampliando as nossas opções de hospedagem.

“Nossa ideia é tornar Brasília um destino democrático, que dê opções para quem gosta de se hospedar em hotéis cinco estrelas e também para aqueles que procuram hospedagens mais baratas, ou até mesmo para quem a questão financeira não é um critério, mas sim o contato com a natureza”, explicou Neves.

Para concretizar essa ação o Secretário de Turismo do Distrito Federal, Luís Otávio Neves, acompanhado de técnicos da Setur, se reuniu com o secretário de Meio Ambiente (SEMARH), Eduardo Brandão, e com o presidente do Instituto Brasília Ambiental (IBRAM), Nilton Reis Batista Júnior, para definirem o espaço onde o camping será instalado. A ideia é colocar o novo meio de hospedagem em uma área do Parque das Aves, próximo ao Zoológico de Brasília.

“Um camping tem que ser sustentável, precisa estar em um espaço que permita contato com a natureza e que também tenha facilidade de acesso aos meios de transporte.

Essa área da Semarh é ideal pois, além de todo espaço verde, está próximo ao metrô e a um dos principais atrativos da cidade que é o zoológico”, disse Neves. Segundo o secretário de Meio Ambiente a parceria com a Setur tem tudo para dar certo.

“Um campista tem toda uma ligação com o meio ambiente e acredito que dá para fazer uma ocupação organizada dessa área”, declarou.

Agora os técnicos da secretaria de Turismo irão se reunir com a Associacao Brasileira de Campismo do Distrito Federal (Abracamping) para definir o projeto do local. A ideia é que a instalação seja feita em duas etapas, a primeira sendo finalizada já para utilização do espaço na Copa das Confederações.
 A informação nos foi repassada pelo Edgard Tostes - ABRACAMPING para divulgação.


Associação Brasileira de Campismo
Via Anhanguera - Km 207
Pirassununga - SP
Cx. Postal 62 - CEP 13630-970
Fone: 19 3561-3011
E-mail: trailer@siteplanet.com.br / abracamping@gmail.com
Presidente - Sr. Luiz Antonio Pinto Matheus




LEIS & RESOLUÇÕES -
 Oferecimento : 


Trailers




Para quem quer mergulhar no histórico da fabricação de Trailers no Brasil e exterior, conhecer o que foi fabricado e o que está sendo fabricado na atualidade, a melhor pedida é navegar no Portal Macamp, onde seu criador teve o cuidado de pesquisar e catalogar minunciosamente tudo o que o caravanista e futuro campista precisa saber.

Fonte: www.portal.macamp.com.br














Saiu no site Extra.


Globo



Cuidados especiais na casa móvel


Por: Juliana Pate em 

Com sistemas de iluminação e tanque para dejetos, trailer e motor home exigem manutenção de profissional.

Banheiro Como funciona o sistema sanitário e de esgoto dos trailers e motor homes?
Os veículos têm dois tanques na parte de baixo, um para dejetos do banheiro e o outro para detritos da cozinha. Para limpar o local, usamos um produto que dilui a sujeira e a transforma em líquido, o que facilita o descarte na rede de esgoto. Diariamente, aconselho a limpeza com cloro, pois aquele produto azul que costumamos ver em filmes contém formol, substância que agride o meio ambiente. Além disso, é fácil encontrar o cloro em qualquer loja de produtos para piscinas. Uma embalagem do produto, com um litro, custa menos de R$ 20 e dura mais de 15 dias.
Descarte Onde esses veículos fazem o descarte de seus resíduos?
Na rede de esgoto e em alguns postos de gasolina, ao
longo da estrada.
Umidade e mofo Como evitar mofo e umidade?
As canalizações de água devem ser inspecionadas sempre, pois qualquer furo, mesmo que pequeno, pode fazer um grande estrago. Por isso, chame um profissional para fazer os reparos. É preciso verificar e consertar janelas danificadas ou frágeis, além dos lacres de ventilação. Anualmente, devem-se
inspecionar as paredes e os telhados para verificar se há problemas, como água retida. No caso da umidade, ela pode ser controlada na cozinha e no banheiro, com o uso de ventiladores.
Água Como funciona o sistema hidráulico dos veículos?
O motor home e o trailer já vêm com um sistema hidráulico de fábrica. Ele pode ser conectado diretamente a uma torneira externa, assim como ocorre com o aquecedor a gás desses veículos. Neles, existem também um tanque para armazenar água, com capacidade de 300 litros a 500 litros, e uma bomba de
12 volts, automática, que abastece o banheiro e a pia da cozinha.

Perguntas respondidas por Igor Severien, gerente de Produção da Victoria Motor Homes.










Glossário de termos do caravanismo/campismo


Registro de um dos primeiros motorcasas no Brasil

Museu MaCamp do Campismo

O Primeiro Motor Home do Brasil

 

Este GMC-AFKX 352 1½ Ton., que era originalmente um veículo oficina, foi transformado em um Motor Home entre 1943 e 1944. Em 1944 foi enviado para a Itália com a finalidade de servir como dormitório e escritório de comando para o Marechal Mascarenhas de Moraes. No seu interior foram realizadas muitas reuniões entre autoridades das forças brasileiras e aliadas. Nele havia um guarda roupas, uma cama, um sofá, uma poltrona, uma mesa com gavetas, um telefone, uma pia e uma prateleira para livros e objetos pessoais, tudo fixado neste caminhão baú GMC. O veículo foi utilizado até o final da guerra quando foi devolvido para o Brasil. Nos anos 90, foi recuperado e hoje encontra-se no Museu Conde de Linhares que pertencente ao Exercito Brasileiro e fica situado à Av. Pedro II em frente a Quinta da Boa Vista no Rio de Janeiro.

COLABORAÇÃO DO CAMPISTA HUMBERTO BRANDÃO









fotos: Humberto Brandão


 A
ABS – sistema de freios antiblocante usado nos veículos a motor

Acomodação (Berth) – Capacidade em número de leitos. Acomodação igual a 4 significa que existem leitos para 4 pessoas dormirem.

Acoplamento secundário (Secondary Coupling) – Equipamento de segurança que consiste num cabo de aço ou corrente que vai evitar que o equipamento rebocado se desprenda do veículo rebocador em caso de quebra do sistema de engate. È exigido pela legislação atual para o caso de motorcasa rebocando veículo ou veículo rebocando treiler ou carreta-barraca.

Adesivagem – processo de colagem de adesivos plásticos nas paredes verticais (laterais, frente e fundo) de um VR. Os adesivos são normalmente planejados e recortados com o uso de aplicativos de computador (design gráfico).

Aerogerador – Gerador de energia alimentado pelo vento. Um aerogerador com pás de 120 cm é capaz de gerar de 250 a 350 w de potência.

Aglomerado - O aglomerado é uma chapa, com miolo composto de resíduos de madeira (pó e serragem), resina e cola, que após passar por processo de prensa se transforma em painel de madeira. Utilizado na fabricação de móveis de baixa qualidade montados com cavilhas e cola. Não é recomendado o uso de pregos e parafusos, devido ao risco de ocorrerem rachaduras. As suas maiores deficiências são ser pouco resistente à umidade e ser muito apreciado pelos cupins.

Água contaminada – água que não pode ser consumida por pessoas ou animais. Água não potável.

Àgua potável (Drinking Water)- água que pode ser consumida por pessoas e animais sem riscos de adquirirem doenças por contaminação da mesma. È também normalmente usada para banho ou cozinha, armazenada em tanques internos ou fornecida por rede externa. No Brasil é incomum o uso de água do tanque interno do VR para ser bebida: normalmente esta água é usada para banho e limpeza (cozinha, piso, etc), pois na maioria das vezes a fornecida nos campings não são potáveis.

Água servida (Waste Water ou Grey Water) – Água que foi utilizada na cozinha, limpeza ou para banho. Deve ser coletada para um tanque de armazenamento interno do VR ou direcionada externamente para pontos de esgoto com o uso de mangueiras plásticas. Normalmente só os motorcasas possuem tanques internos para armazenamento de água servida.

Alternador – carregador de bateria dos veículos motorizados. Sua eficiência em repor a carga de uma bateria é baixa, pois opera em tensão máxima de 13.6 volts. Não é recomendado para repor a carga de uma bateria estacionária ou da casa, portanto use o carregador do VR ou um carregador inteligente para repor a carga da bateria de serviço (bateria da casa). O carregador pode ser usado também para recarregar a bateria de partida do veículo.

Amortecedor – Peça de veículo automotivo que tem a função de transmitir o mínimo possível das imperfeições e desníveis do solo à carroceria do veículo como também visa manter a roda em contato contínuo com o chão.

Ancar – Fabricante de motorcasas que tinha sede em Caxias do Sul-RS.

Angulo de ataque – Angulo entre a posição que a roda dianteira toca o solo e o pára-choque. É importante que este ângulo seja alto para evitar que a frente do VR encavale na pista. Veja detalhes em http://www.camaradahome.com.br/principal.html , seção MotorHome.

Angulo de saída – Angulo entre a posição que a roda traseira toca o solo e o pára-choque. É importante que este ângulo seja alto para evitar que a traseira do VR encavale na pista. Veja detalhes em http://www.camaradahome.com.br/principal.html , seção MotorHome.

Antena de TV – receptor de sinal de TV VHF/UHF ou sinal de satélite. A marca mais difundida mundialmente para VRs é a Winegard. Ela é operada manualmente (levantar e girar) de dentro do VR ou com controle remoto (modelo de antena motorizada e automática).

Antenas para sinal de TV Winegard. Veja http://www.transtrailer.com.br/foto/pecas/rmdm61.jpg

Aqua Kem – Marca de fluido químico biodegradável que ajuda a dissolver dejetos e diminui a presença de maus odores. È um desodorizante com neutralizantes químicos.

Aqua Magic – tipo de sanitário (nome fantasia) apropriado para veículos de recreação. Possui vedação por sistema tampa/anel de borracha e acionamento de jato d’água (flush) por pedal ou alavanca manual. É moldado em plástico PVC.

Sanitário Aqua Magic - Veja em http://www.trans.com.br/foto/pecas/magicpedal.jpgtrailer

Aquecedor a vento (Blown Air Heating)- Ventilador que sopra sobre filamentos ou dutos aquecidos, o que permite o aquecimento de uma área.

Aquecedor de água (Water Heater) – Equipamento elétrico ou a gás que aquece água para uso interno no VR (banho, cozinha, etc)
Aquecedor de passagem - O aquecedor de passagem é um equipamento normalmente de uso doméstico que aquece água. Este mesmo aparelho pode ser adaptado em veículos de recreação. Para ser acionado, basta que haja fluxo de água passando pelo mesmo: a pressão da água em fluxo aciona a válvula de abertura de fornecimento do gás e durante alguns segundos no início do fluxo da água vai ser acionado um dispositivo eletro/eletrônico emissor de faíscas para acender a chama. Esta chama é direcionada para uma serpentina de cobre que então aquece a água em fluxo. Veja http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Aquecedor%20de%20passagem.pdf

Área Habitacional (Habitation Area) – Área de estar do VR, na qual as pessoas podem circular, fazer refeições, se entreter, descansar ou dormir.

Aro (RIM) – parte metálica da roda que acomoda o pneu.

Asa de morcego (batwing) – famosa antena da Winegard para recepção de sinal aberto de TV VHF/UHF (winegard batwing).

Antena batwing da Winegard. Possui sistema mecânico para levantar e direcionar (girar)

Atrito - o atrito é uma força natural que atua apenas quando um objeto está em contato mecânico com outro, sendo ambos microscopicamente ou macroscopicamente ásperos. Como exemplo, é a força que os pneus exercem sobre o solo.

 B
Barraca (tent)- equipamento normalmente utilizado em camping. Consiste de estrutura fechada em lona ou tecido plastificado (utiliza-se poliuretano, poliéster e polietileno) e com armação em metal. As barracas mais modernas (tipo iglu ou igloo) utilizam armação baseada em varetas de fibra de vidro flexíveis. O polietileno é normalmente utilizado nas peças do piso. Acomodam em média de 2 a 5 pessoas.

Barraca canadense – tipo de barraca com armação metálica (esqueleto em aço galvanizado) com formato de tenda (teto em V).

Barraca Iglu (Igloo)- tipo de barraca com armação baseada em varas de fibra. Possui o formato de meia laranja. O nome tem correlação direta com as casas (Igloo) dos esquimós do pólo Ártico.

Barra Estabilizadora – artefato de metal que tem a função de estabilizar movimentos bruscos eventuais. É muito utilizada nas suspensões dos veículos automotores. Sua principal função é amortecer movimentos bruscos das rodas quando as mesmas passam por superfícies irregulares (buracos, quebra-molas, etc). As barras estabilizadoras também ajudam a diminuir a inclinação da carroceria nas curvas a fim de não se perder estabilidade. O estabilizador normalmente é uma barra de aço curvada em forma de "U" que é instalada transversalmente no veículo em suspensões independentes.

Bateria - uma bateria é um dispositivo que armazena energia química e a torna disponível na forma de energia elétrica. Baterias consistem de dispositivos eletroquímicos com uma ou mais células galvânicas, células combustíveis ou células de fluxos. Um ciclo de bateria compreende um descarrego de 100 para 50% de sua capacidade e em seguida um recarrego com retorno aos 100% da carga original. Veja detalhes em
http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Cuide%20das%20baterias.pdf

Bateria auxiliar (Auxiliary Battery ou Leisure Battery) - Bateria de 12V, similar mas não idêntica à de um carro (possui carga de ciclo profundo) que serve para alimentar os equipamentos e luzes de 12 V de um treiler ou motorcasa. O ciclo profundo permite que opere com carga abaixo de 50% sem perda de eficiência. Veja bateria estacionária. Nos VRs a bateria auxiliar é denominada de bateria de serviço ou bateria da casa.

Bateria de partida – é a comum utilizada nos veículos automotores. Possui maior capacidade de carga para ser usada em tempo curto (para partida de motores, por exemplo). Por outro lado, sua necessidade de recarga é maior se comparada com as baterias estacionárias, ou seja, mais cedo necessitará de recarga.
Bateria estacionária – Também denominada bateria de ciclo profundo, pois permite descarregos maiores que 50% do total da carga. A sua arquitetura, com o uso de placas mais grossas, permite o uso por equipamentos de consumo estável (sem picos) por um tempo maior, além de permitir recarga em quantidade maior que as baterias de partida. Outra peculiariedade das baterias estacionárias é a capacidade de executar ciclos completos de descarga /recarga em maior quantidade que as baterias de partida.
Bequilha do treiler – trem de nivelamento com roda que possui macaco manual e fica instalado na ponta de lança de um treiler.

Bequilha de içamento manual, apropriada para treilers

Big Boy – apelido empregado nos EUA para os motorcasas Classe A.

Boiler – equipamento elétrico ou a gás para aquecimento de água. O elétrico é mais seguro uma vez que não utiliza gás e também não polui. É prático, pois permite o uso simultâneo em dois ou mais pontos de saída. O isolamento térmico para manutenção de temperatura interna é feito de espuma de poliuretano expandido ou manta de lã mineral. A corrente elétrica pode ser suprida por painel solar.

Bola do Engate (Tow Ball) - bola de metal do engate na qual é acoplada a munheca do cambão.

Boléia - O termo boléia tem sua origem no componente das antigas carruagens (área de assento do cocheiro) e por extensão do sentido passou a designar o habitáculo do veículo onde vai o motorista.

Bomba de água (Fresh Water Pump) – Uma vez que as caixas de água de um VR ficam localizadas em locais baixos (normalmente abaixo do piso), se faz necessário o emprego de bombas para que a água tenha pressão que permita circulação. Normalmente é de 12 Volts. Veja detalhes em http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Bomba_dagua.pdf

Bomba maceradora de detritos (waste pump macerator) – Equipamento com bomba que suga e macera(esmigalha) detritos imersos em meio líquido. É usada nos VRs (EUA) para evacuar a carga dos tanques de detritos (pinicão) e de água servida. No Brasil seu uso é pouco comum.

Bomba maceradora 12V da Flojet( campingworld.com ). A Transtrailer vende/instala este produto.

Bomba reserva (backup pump) – Bomba de água reserva. Por ser um item em geral importado e um dos mais importantes num VR aconselha-se ter uma de reserva.

Bomba Clássica (Classic pump ShurfloTM) – bomba de água de 12v e vazão de 2.8 gpm da Shurflo.

Bomba Premium (Premium pump) – bomba de água de 12v e vazão de 3.5 gpm.

Borne – Peça metálica que possui um parafuso destinado a fixar o fio ou terminal que a atravessa. É usado para fixar os cabos de distribuição aos terminais da bateria.

Botijão de gás (Gas Bottle)- Cilindro para gás liquefeito de petróleo.

Box (caixa) – Nome genérico adotado do Inglês. Normalmente empregado para nominar o habitáculo do banheiro dos VRs. O padrão normal é que seja fabricado em fibra.

C
Cabo da elétrica (rabo de porco ou Pigtail) – Cabo que transfere as conexões elétricas do veículo rebocador para o rebocado. O acionamento das luzes de sinalização/advertência no veículo rebocador é transferido simultaneamente para o veículo rebocado através deste cabo.

Cabo de frenagem (Breakaway Cable) – Cabo de aço auxiliar conectado entre o carro rebocador e o treiler. Este é um recurso que aciona os freios do treiler quando em movimento no caso de haver desconexão(quebra) do conjunto veículo rebocador / treiler.

Caixa de gás – caixa em fibra de vidro para acondicionamento de botijão de gás e ferramentas. Fica normalmente instalada na frente dos treilers.

Caixa Térmica (cooler) – caixa plástica a base de poliproprileno que tem a funcionalidade de isolamento térmico. Muito usada para conservação de temperatura de alimentos/bebidas.

Calça branca-*02 – caravanista/campista novato na atividade de campismo ou no equipamento.

Calibragem – nível de pressão nos pneus.

Cambão (Hitch) – Equipamento que permite a conexão entre rebocador (veículo ou VR) e rebocado (VR, automóvel ou reboque). Normalmente pode ser removido com facilidade do veículo rebocado. A conexão no veículo rebocador é feita na bola do engate.

Câmera de ré – mini-câmera (uma ou mais) que é instalada na traseira do VR e é usada para facilitar as manobras e acompanhar veículo sendo rebocado. Um monitor de TV é instalado nas proximidades do volante em local que possa permitir acompanhamento contínuo pelo motorista.

Camper – VR que é transportado sobre carrocerias de veículos motorizados. Possui os equipamentos e recursos básicos de um treiler comum. Veja matéria
http://www.transtrailer.com.br/materiacamper.html .

Camping – local apropriado para receber equipamentos de campistas/caravanistas. Dentre as facilidades de um camping, as principais são água, energia e banheiros.

Campismo selvagem (boondocking) – prática de campismo onde o local escolhido para acampar não possui nenhum tipo de facilidade instalada (energia, água, banheiros, etc). Normalmente é praticado por usuários de barracas e sacos de dormir.

Campismo – Atividade de turismo/lazer/aventura praticada pelo campista com o uso de qualquer equipamento de camping.

Campista (caravanist ou boondocker) – pessoa que utiliza equipamentos de camping (motorcasa, treiler, camper, carreta-barraca, barraca, saco de dormir, etc).

Campista de tempo integral (full-timers) – Campista que tem como residência um VR móvel. Não se aplica aos “roda quadrada”.

Capanema - Fabricante de rodocalibrador automático de pneus.

Capucino – Denominação para os motorcasas classe C em Portugal.

Caravanismo (Caravanning) – Atividade de turismo praticada pelo caravanista com o uso de equipamentos de camping sobre rodas.

Caravanista (caravanist) – pessoa que utiliza um equipamento de campismo para acomodação em viagens de turismo. O equipamento pode ser uma carreta-barraca, camper, treiler ou motorcasa.

Carga estática ou eletrostática – Carga elétrica que permanece presente em corpos metálicos que foram usados como pólo neutro. Os VRs estão muito sujeitos a este tipo de carga, pois possuem muitos equipamentos de consumo elétrico que estão aterrados no seu chassis ou carroceria. Para evitar que este tipo de carga provoque algum dano, quando estacionado procure usar vara de metal (cobre) ligada ao chassis e aterrada ao solo.

Carga pessoal (User Payload) – Peso máximo permitido que inclui equipamentos de uso essencial, equipamentos de uso pessoal, equipamentos opcionais, roupas e mantimentos. Isto pode ser entendido como qualquer coisa ou objeto que não esteja fixado no VR ou qualquer coisa ou objeto do qual o veículo não dependa para se locomover. Na prática é a diferença entre o peso em marcha do veículo e a capacidade máxima de carga do veículo. Também pode ser chamado de lotação.

Carregador de bateria (Battery Charger) – Requerido para manter as baterias auxiliares carregadas.
Normalmente é operado a partir do conversor/adaptador de voltagem. As baterias auxiliares podem também ser carregadas pelo alternador do veículo. Menos comum é o uso de painéis solares, geradores e cataventos para a geração de energia de recarga das baterias. Os carregadores mais modernos são inteligentes, ou seja, podem ficar ligados o tempo todo à bateria e só vai carregá-las quando houver necessidade de recarga.

Carregador de bateria inteligente Black&Decker BBC10 (3 estágios, 10 amperes)

Carregador de bateria inteligente – carregador que não requer operação manual. Também conhecido de carregador de 3 estágios: corrente constante(estágio principal), tensão constante (estágio absorção) e flutuação (estágio flutuação). Após atingir a fase de flutuação, o carregador inteligente procura manter a bateria 100% carregada, operando em tensão de até 13.8 volts. Os mais modernos incluem um quarto estágio, o de equalização, que só pode ser aplicado em baterias úmidas (condutor eletrolítico ácido). Veja matéria em http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Otimizando%20as%20baterias.pdf .

Carreta Barraca (Trailer Tent, Pop Up Trailer ou Fold Down Camping Trailer) - Um híbrido entre um treiler e uma barraca. A maioria consiste de uma base rígida sobre rodas e a parte lateral e teto são de lona. As americanas possuem teto em fibra. As carretas-barraca nacionais são leves (+-200 kg) e baratas, se comparadas com outros equipamentos de campismo sobre rodas. Veja o artigo http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Classes%20dos%20VRs.pdf

Carreta barraca CampingCar – similar a Trabucar, sendo que as camas são dispostas lateralmente em relação ao eixo da carreta. Veja detalhes no site http://www.campingcar.com.br .

Carreta Barraca Camping Star - A carreta barraca mais difundida no Brasil foi (não é mais produzida) a Camping Star. Consiste numa caixa fechada que ao ser aberta, a parte superior gira 180º ao redor de dobradiças e torna-se piso de sala/quarto. Ao mesmo tempo a parte lonada arma uma tenda que vai formar um quarto e uma sala/quarto. Um avancê de 4x3m com fechamento lateral fica disponível para ser montado sobre hastes metálicas, permitindo uma boa expansão lateral.

Carreta barraca Halley – similar à trabucar. Veja Halley Carretas.

Carreta barraca Trabucar – similar a Camping Star, sendo que as camas são dispostas lateralmente em relação ao eixo da carreta. Veja detalhes no site http://www.trabucar.com.br.

Carreta Chalé – uma variação de treiler para camping com formato de chalé.

Carreta (ou mini-trailer) chalé – veja detalhes em http://www.aliner.com/campers

Carteira de Habilitação (Driving Licence) – Documento necessário para dirigir um automóvel ou equipamento motorizado. Felizmente já foi aprovada a nova Lei que permite que um motorista Classe B possa rebocar treilers e dirigir Motorcasas até 6000 kg. A categoria C permite dirigir qualquer Motorcasa que tenha menos de 9 passageiros declarados, exceto o motorista. A categoria D é necessária se no documento do veículo constar capacidade de passageiros igual ou maior a 9, exceto o motorista. A categoria C permite rebocar equipamentos de até 6000 kg.

Casacar - Fabricante de motorcasas que já encerrou suas atividades.

Castelo Trailers- Revendedor de VRs situado a Via das Paineiras, 3306 (Rodovia Dom Gabriel Paulino Couto - Km 82,3), Bairro Pinhal, Ligação Jundiaí/Itu, Cep.: 13.315-000 - Cabreúva-SP Fone/Fax: (11) 4529-5444 e 4409-2900, Coordenada GPS - 23º 15,136' S / 47º 05,233' W

Chassis – Armação estrutural metálica sobre rodas sobre a qual pode ser construída a área habitacional de um equipamento de campismo. No caso do motorcasa, o chassis requerido deve ter no mínimo sistema de sinalização, sistema de propulsão, transmissão e rodagem (motor + transmissão + rodas) e painel de instrumentos. No caso do treiler utiliza-se chassis sem sistema de propulsão + transmissão.

Chassis cabinado (Chassis Cab) – Veículo base sobre o qual um motorcasa pode ser construído. A cabine pode ou não ser aproveitada para ser incorporada ao corpo principal (área habitacional) do motorcasa. Normalmente o chassis cabinado é adquirido para ser convertido em motorcasa por empresas especializadas. Como exemplo, os chassis Iveco 55C16 e MB Sprinter.

Checklist – termo Inglês na prática muito utilizado pelos brasileiros. É uma lista de itens que devem ser inspecionados/executados.

Checklist para VR – Lista de vários itens a serem verificados/inspecionados antes de uma viagem de VR. Veja matéria em
http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Vai%20viajar%20Faca%20um%20checklist%20antes.pdf
Chicote – veja cabo da elétrica.

Classe A (A-Class) – Tipo de Motorcasa onde a cabine e a área habitacional estão integradas, sendo normalmente fabricados por empresas que adaptam/convertem chassis de ônibus ou caminhões de outros fabricantes. Veja matéria em:
http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Classes%20dos%20VRs.pdf
Motorcasa Classe A com slide-out (figura do site da Vettura �� www.vettura.com.br )
Classe B ( B-Class) – Tipo de motorcasa de porte pequeno (+- 6m) normalmente adaptado em vans ou furgões. Em Portugal é denominado auto-vivenda.
Motorcasa Classe B (figura do site da trailemar �� www.trailemar.com.br )
Classe C ( C-Class) – Tipo de motorcasa de porte médio (+- 7m) normalmente adaptado em chassis cabinado de utilitários/caminhonetes. A principal característica do Classe C é ter uma cama sobre a cabine.
Motorcasa Classe C, modelo Aconcágua600 (figura do site �� www.sportrailers.com.br )
Classe dos VRs – Classificação dos veículos de recreação segundo suas principais diferenças. Veja detalhes em http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Classes%20dos%20VRs.pdf
Clarabóia ou alçapão – Abertura em forma de janela localizada no teto dos VRs. Tem a função de permitir melhor ventilação como também servir de ponto de escape em caso de acidente com tombamento.
Classe de velocidade (Speed Rating) – Máxima velocidade admissível para um determinado pneu. Aparece uma letra na lateral do mesmo. É determinada pelas letras Q, R, S, T , U, H, V, V*, W, Y e Z. Q admite velocidades até 160 km/h e Z acima de 300 km/h. As outras letras são intermediárias entre 160 e 300 km/h. Veja maiores detalhes sobre pneus em http://www.goodyear.com.br/tirecatalog/passenger/lendo.html

Climatizador – O mais conhecido é o da marca Resfriar. É um sistema de ventilação com borrifamento de água que é instalado no teto do VR. A água é borrifada sobre uma superfície porosa e a ventilação forçada faz carrear esta água para o interior de um ambiente. Este artifício pode baixar a temperatura em até 6 graus. Uma maneira de tornar o processo mais eficiente é colocar pedras de gelo no reservatório de água do climatizador.

Chaminé de teto – chaminé usada nos tetos dos VRs para exaustão de gases e/ou calor.

Coifa exaustora - veja exaustor.

Coleman – fabricante de equipamentos/acessórios para lazer. Veja www.coleman.com.

Compensado – Chapa de madeira, formada por outras mais finas, coladas com resina e prensadas, e cujos veios são dispostos perpendicularmente. São feitas a partir de madeira seca, o que evita deformação. São muito resistentes e mais flexíveis que as madeiras brutas. Material muito utilizado na montagem de VRs. A sua maior deficiência é não ser suficientemente resistente à umidade. Há um declínio no uso dos compensados, que passaram a ser substituídos por aglomerados e MDF.

Compensado naval – compensado de maior resistência (é mais rígido e resiste melhor à umidade). A sua maior resistência tem a ver com o emprego de uma linha especial de resinas.

Compressor – Equipamento para comprimir ar que é utilizado nos sistemas de frenagem e nos rodocalibradores.

Consumo elétrico - Quantidade de energia em watts (w=watts=amperagem x voltagem) consumida por um equipamento elétrico. Um equipamento de 10 amperes e 127V vai consumir 1270w de forma contínua.

Conversor (Converter) – equipamento elétrico para corrente alternada (AC) que converte a voltagem de entrada em voltagem de saída diferente. Normalmente aceitam voltagem de entrada 110 ou 220V e a transforma em 12, 110 e/ou 220V. Muito utilizado nos VRs, uma vez que flexibiliza o uso em regiões de voltagens diferentes como também permite o uso de uma gama de equipamentos 12V comuns em veículos motorizados ou treilers. Alguns conversores também transformam frequência (50�� ��60 hz). Veja detalhes em
http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/O%20conversor%20no%20seu%20veiculo%20de%20recreacao.pdf
Conversor barulhento – o barulho em conversores é uma ressonância mecânica criada por distorção harmônica. O que acontece é que os conversores AC não são lineares, ou seja, não produzem um fluxo ordenado e de intensidade constante das cargas elétricas, provocando diferentes formas de onda que uma vez superimpostas no tempo provocam barulho. Este fenômeno é muito intensificado se você erra a seleção do valor de entrada da voltagem: caso a voltagem seja 220V e você selecionar 110V haverá geração de forte barulho no conversor. Neste caso, desligue imediatamente o conversor antes que o mesmo ou outros equipamentos alimentados por ele sejam danificados.

Corrente alternada (AC ou CA) - Todo movimento ordenado de partículas eletrizadas (elétrons) é denominado corrente elétrica. Quando a intensidade desta corrente varia (fluxo desorganizado) a corrente é denominada alternada.

Corrente contínua (DC ou CC) - Todo movimento ordenado de partículas eletrizadas (eletrons) é denominado corrente elétrica. Quando a intensidade desta corrente se mantém a corrente é denominada contínua: é o fluxo constante e ordenado de elétrons sempre numa direção. Esse tipo de corrente é comumente gerada por baterias de automóveis ou de motos (6, 12 ou 24V), pequenas baterias (geralmente de 9V), e pilhas (1,2V e 1,5V).

Cross Country Vehicle ou Expeditionsmobile ou Allradwohmmobile ou Global Expedition Vehicle ou Expeditionsfahrzeuges ou Expeditions Camper ou Extreme Camper ou Truckmobil *03 – veículo utilizado em jornadas Overland. Veja jornada Overland. Maiores detalhes podem ser vistos em www.camaradahome.com.br .

Cuba – bacia ou tina de uma pia. Pode ser de metal ou porcelana.

 D
Debris – restos sólidos (detritos) presentes na água fresca. Normalmente são restos de material vegetal. A água potável tem que ser isenta de debris e contaminantes químicos.

Delka – Empresa especializada em reboques, localizada em Timbó-SC. Fabrica os treilers Delka400, Delka560 e Delka610. Veja site www.delka.com.br .

Descarga – sistema de exaustão dos gases emitidos por motores à combustão. As saídas das caixas de detritos e água servida também são descargas.

Detritos (Black Water) – Dejetos gerados no vaso sanitário. Devem ser coletados para um tanque de armazenamento interno do VR ou direcionados externamente para pontos de esgoto
sanitário com o uso de mangueiras plásticas. Normalmente só os motorcasas possuem tanques internos para armazenamento de detritos. Existem treilers que incorporam também estes tanques.

Detector de Monóxido de Carbono (carbon monoxide detector) – equipamento que mede a quantidade de monóxido de carbono no ar. Muito importante para o quesito segurança, principalmente em ambientes que possam estar recebendo emissão de gases de motores à combustão. O monóxido de carbono é letal.

Diesel – combustível para motores de combustão. Nas grandes capitais é comercializado um tipo de diesel com menos enxofre (500 partes por milhão). No interior, o diesel pode ter até 2000 ppm e possui um aditivo que lhe confere uma cor avermelhada (diesel interior). Atualmente há um esforço mundial para produção do diesel 50 (50 ppm de Enxofre). Veja detalhes em http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Conheca%20o%20Diesel.pdf

Dinete (Dinette)- Mesa de jantar com fixamento lateral ladeada por assentos. A remoção ou rebaixamento da mesa permite a criação de uma cama de dormir.

Dinete de modelo Industreiler

Dometic – um dos maiores fabricantes de equipamentos para veículos de recreação dos EUA. Veja site especializado em espanhol http://www.dometic.com/esla/Americas/Latin-America-Caribbean/Lineas-de-Productos/Vehiculos-Especializados---Casas-Moviles/ .

Duto de exaustão – tubulação para saída de gases. Na exaustão forçada utiliza-se ventilador para forçar o gás a sair para área externa de forma mais rápida.

E
Ecoturismo – um segmento da atividade turística que utiliza de forma sustentável o patrimônio natural e cultural, incentiva sua conservação e busca a formação de uma consciência ambientalista através da interpretação do ambiente, promovendo o bem-estar das populações envolvidas

Eixo duplo (Twin Axle) – Nomina-se eixo duplo os treilers com 2 pares de rodas ou 2 eixos que ficam próximos e centrados. O segundo eixo possibilita que o treiler possa ser mais longo e também mais pesado, além de incorporar maior estabilidade de viagem ao conjunto carro+treiler. O treiler de 1 eixo é denominado single axle em inglês.

Eixo triplo – Nomina-se eixo triplo os treilers com 3 pares de rodas ou 3 eixos que ficam próximos e centrados. O segundo e terceiro eixos possibilitam que o treiler possa ser mais longo e também mais pesado, além de incorporar maior estabilidade de viagem ao conjunto carro+treiler. O treiler Albatroz I da Motortreiler é um exemplo de eixo triplo.

Elber – fabricante de acessórios, entre eles geladeira para VR. Veja site http://www.elber.ind.br .
Empuxo – força exercida numa determinada direção.

Engate (Tow Bar ou Towing Bracket) – estrutura metálica incorporada na traseira do veículo rebocador sobre a qual é fixada a bola de engate.

Entrerodas (Wheelbase) – A separação (distância) entre o eixo traseiro e dianteiro de um veículo. É esta distância (original ou modificada por alongamento de chassis) que permite a opção por vários layouts (planta baixa) em um VR.

Escada escamoteável – escada da porta de entrada de um VR que possui recolhimento manual ou automático do(s) degrau(s).

Espeque (spack) – grampo metálico de aço galvanizado utilizado para fixação de equipamentos de camping ao solo. É mais comumente empregado na fixação de barracas com o uso de tirantes ou cordas. Atualmente utiliza-se também alumínio como metal básico para os espeques, o que evita que os mesmos se oxidem com facilidade.

Esso “Garantido” – programa de fiscalização da qualidade do combustível para poços de bandeira Esso. Se o posto tem a bandeira “Combustível Garantido”, é um posto fiscalizado pelo distribuidor Esso.
Estabilizador (Stabiliser ou sway control) – Equipamento de segurança normalmente utilizado para prevenir pêndulos em equipamentos rebocados. Não é comum no Brasil.

Estabilizador (sway control) para reboques. Previne o pêndulo.

Estaca (spack) – veja espeque.

Estacionamento (Storage Site ou Parking) – Local para parqueamento de VRs que não estejam em uso.
Estirantes -*02 (Guy lines) – O mesmo que tirante.

Etiqueta no camping – Formas de comportamento social dos campistas. Veja matéria em http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Etiqueta%20no%20camping.pdf

Exaustor (Exauster fan) – Equipamento de exaustão que fica fixado no teto do VR que direciona ar interno para área externa. Normalmente é utilizado nos banheiros. Pode também ser utilizado sobre os fogões, neste caso exigindo dutos de saída.

 F
Fadiga mecânica: grau de desgaste de um ou mais componente mecânico. Alta fadiga significa que o componente já foi muito utilizado e pode estar perto de seu fim útil: já passou da hora de ser trocado.
Famit – Empresa que fabrica equipamentos para treilers e reboques, entre outros. Veja site www.famit.com.br .

Fibra de vidro (Fibre Glass) – Uma forma de material plástico comumente usado em partes externas de veículos (na carroceria, por exemplo).

Filtro de água (Water Filter) – Equipamento para remover/reter impurezas da água. O filtro de água para piscinas é indicado para uso no seu VR.

Filtro de linha para água (filtrinho) – Equipamento
 que uma vez conectado a linha de água vai filtrar as impurezas do tipo detritos. Normalmente é denominado filtro Y.

Filtro de linha em Y Pré-filtro da Shurflo Filtro de água para piscinas

Flojet – fabricante americano de bomba de água. A sua maior linha é a de 12V para VRs.

Fogão (stove) – equipamento para preparação de alimentos, normalmente alimentado por gás. Pode ser alimentado também por energia elétrica.

Fogareiro-*02 (“liqüinho”) – equipamento com queimador a gás para aquecimento/preparação de comestíveis.

Forno de microondas (Microwave) – equipamento elétrico para aquecimento de comestíveis. A potência de pico deste equipamento é alta, portanto procure não ligá-lo concomitantemente com outros equipamentos de consumo alto, o que poderá evitar que você tenha uma interrupção do fornecimento de energia (disjuntor vai desligar preventivamente).

Freio motor (exhaust break) – recurso adicional de frenagem que é obtido ao se aumentar o giro do motor e/ou comprimir os gases que circulam no seu interior ao se transferir força das rodas em movimento. Esta força é transferida no sentido inverso, ou seja, das rodas para a caixa de câmbio e da caixa de câmbio para o motor. Nos veículos a passeio este recurso é obtido ao reduzir a marcha e não acelerar (borboletas ficam fechadas), o que faz com que a força que aumenta o giro do motor e comprime os gases seja efetuada pelas rodas, provocando redução da velocidade. No caso dos veículos a diesel a redução de marcha também provoca desaceleração (aumento do giro do motor), mas não há redução via compressão dos gases (o motor a diesel não tem borboletas). Nos motores a diesel este recurso de freio motor com aplicação de compressão é
obtido com um dispositivo adicional que aciona uma borboleta que vai inibir a passagem dos gases para o sistema de escapamento. O acionamento deste equipamento é feito pelo motorista através de um botão que normalmente se encontra no painel de instrumentos. Mesmo com este botão acionado, este dispositivo de freio motor só passa a funcionar a partir do momento que o motorista tira o pé do acelerador. Apesar de não haver nenhuma restrição ao uso contínuo deste dispositivo, em todas as situações em que o motorista retirar a pressão no acelerador haverá redução de velocidade via compressão, o que vai aumentar o consumo de combustível.

Freio de reação – sistema de freio normalmente presente nos treilers que é acionado de forma retardada após a frenagem do veículo rebocador. Veja retração de bequilha.

Engate com freio de reação

G
Gás – veja GLP.

Gazebo – armação tipo tenda que possui as laterais livres, muito usada em praias ou festas ao ar livre.
Geladeira – Veja refrigerador.

Gerador (Generator) – Alguns caravanistas utilizam geradores para fornecimento de energia elétrica. Podem ser alimentados à gasolina ou diesel. É mais comum o uso em motorcasas. Veja matéria em http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Geradores.pdf.

Geradores portáteis da Honda (3000, 2000 e 1000 W)

GLP (LPG) – Gás liquefeito de petróleo. Pode ser gás butano ou gás propano.

Gota de lágrima (tear-drop) – pequenos treilers com auge de uso nas décadas 30-60, nos EUA. Leves e baratos, caíram no gosto/bolso dos campistas da época, principalmente pelo baixo custo
adequado à realidade econômica (depressão econômica e inter-guerras). Assim como nos EUA, numa moda retrô, já temos alguns circulando no Brasil. Veja figura a seguir.

Veja http://www.vwcampervanblog.com/wp-content/uploads/2008/11/micro-caravan-6.jpg

GPM – galões por minuto. É a medida padrão para as bombas de água dos VRs. 1 galão corresponde a aproximadamente 3,7854 litros.

GPS – O Sistema de Posicionamento Global, popularmente conhecido por GPS (do inglês Global Positioning System ou do português "Geo-Posicionamento por Satélite"). Conforme o nome diz, inclui um conjunto de satélites. É um sistema de informação eletrônica que fornece via ondas de rádio a um aparelho receptor móvel a posição do mesmo em coordenadas terrestres. Veja detalhes em http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/GPS.pdf

GPS Aquarius Discovery com tela de 5”

Grade de ventilação - peça feita em placa de metal que permite a ventilação/exaustão de um ambiente. Normalmente é colocada na lateral (vertical) dos VRs, permitindo exaustão de calor e/ou gases. A sua geometria com arranjo de sulcos horizontais evita a entrada de água de chuva ou qualquer jato de água de direcionamento de cima para baixo (vertical ou inclinado).

GrandTrailer – Empresa especializada em Montagem de Motor Homes, Treilers e Veículos Especiais, manutenções e reformas em Geral. Está localizada na Rua das Astúrias, 960 - Vila D'Icaraí SALTO/SP, CEP 13327-120. Site: www.grandtrailer.com.br - E-mail: contato@grandtrailer.com.br, tels - (11) 4029 4431 Cel. (11) 7896 1161 Nextel : 55*89*22102

Griping (gripping) – Veja atrito.

Guarda Camping – pessoa responsável pela administração de um Camping. A última palavra é a dele, portanto siga as suas orientações.
Guinada (Yaw) – Movimento lateral brusco de um VR que pode acontecer quando sendo rebocado. È o início de um movimento que pode se transformar em pêndulo.
�� H
Halley Carretas – Fabricante de carretas dormitório e para transporte de animais, localizado a Av. Ademar Bornia, 2189 - CEP 87114-000 Sarandi – PR, tel 44.3264-5272, site http://www.carretashalley.com.br.
Hibernar (winterize) – preparar o veículo/VR para o inverno. Nos EUA isto é uma necessidade que se não executada vai refletir em prejuízo, principalmente devido à expansão/contração dos líquidos com a variação de temperatura.
Homecar – Fabricante de motorcasas que já encerrou suas atividades.

HRK – Montador de motorcasas situado à Rua Cristiano Schmitz 505, Curitiba-PR CEP:81810-290, telefones 041.3039-7428 e 9611-2123.

Hometur – Fabricante de veículos especiais, aí incluindo-se motorcasas, site http://www.hometur.com.br/index.php , situado à Rua Ferreira Viana, 65, Bairro Salgado Filho, Belo Horizonte/MG Cep: 30550-140 Brasil , Tel: 31. 2516-1206.
 I
Indicador de nível – equipamento elétrico/eletrônico que permite o acompanhamento do nível (% ou valor) das caixas de água, caixa de detritos, caixa de água servida, carga das baterias e temperatura externa. O nível é normalmente indicado com o acendimento de leds coloridos ou por indicação direta com números
Nível dos tanques de água (fresh), água servida (gray), dejetos (black) e temperatura externa

Índice de carga (Load Index) – Número marcado na parede do pneu que indica o limite de carga possível. O número aparece como XXXT, onde XXX varia de 071 (345 kg) a 125 (1677 kg). 100T indica uma carga máxima possível de 800 kg para o pneu. Veja maiores detalhes sobre pneus em http://www.goodyear.com.br/tirecatalog/passenger/lendo.html

Industreiler – fabricante de motorcasa sediado em Novo Hamburgo-RS. Veja o site http://www.industreiler.com.br/site/index.php

Industreiler Star – motorcasa (2010) fabricado preferencialmente sobre chassis MB LO915, com comprimento de 7.89 ou 8.68 m e capacidade de acomodação para até 6 pessoas (quarto de casal, dinete e sofá).

Industreiler Régia Limited – motorcasa (2010) fabricado preferencialmente sobre chassis VW 17.260EOT ou Volvo B7R, com comprimento de 11 m e capacidade de acomodação para até 6 pessoas (quarto de casal, dinete e sofá).

Industreiler Régia Limited (imagem do site da Industreiler �� www.industreiler.com.br )

Industreiler Suprema Limited – motorcasa (2010) fabricado preferencialmente sobre chassis Scania K310, MB 0500M ou Volvo B12R, com comprimento acima de 11m e capacidade de acomodação acima de 6 pessoas (quarto de casal, beliche, dinete e sofá).

Infiltração (Water Ingress, leakage ou damp) – Penetração de umidade na estrutura interna do VR. É um dos itens que mais preocupa o caravanista, pois uma vez descoberto tarde vai implicar em perda de tempo e gastos excessivos para que os itens danificados pela umidade sejam recuperados ou repostos.

Instabilidade (Instability)- Maior tendência do VR rebocado em provocar pêndulos.

Intra-travessa – área da parede/teto de um VR entre duas travessas de sustentação. As travessas de sustentação fazem parte do esqueleto metálico da carroceria.

Inversor (inverter) – equipamento que transforma corrente contínua 12V em corrente alternada 110/220V. Muito utilizado nos motorcasas, pois permite o uso de equipamentos de corrente alternada (principalmente geladeira, TV e som) durante as viagens e em locais sem acesso a rede pública de energia. Veja detalhes em http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/O Inversor.pdf

Inversor XPower de 1500w

Inversor de onda seno (pure sinewave inverter) – a corrente elétrica gerada possui forma de onda senoidal. Certos equipamentos sensíveis (equipamentos médicos e impressoras a laser) só funcionam com este tipo de onda.

Inversor de onda seno modificada (modified sinewave inverter) – a corrente elétrica gerada possui forma de onda não senoidal. É o inversor comumente utilizado nos VRs. Certos equipamentos sensíveis (equipamentos médicos e impressoras a laser) não funcionam com este tipo de onda.

Ipiranga “Controle de qualidade” – programa de qualidade do combustível para poços de bandeira Ipiranga.
 Se o posto tem a bandeira “Controle de Qualidade” é um posto fiscalizado pelo distribuidor.

Itapoã – fabricante de treilers e motorcasas sediado no Rio Grande do Sul. Atualmente só fabrica motorcasas.

Itapoã Petit – motorcasa de 5.35 m, Classe C, rodagem simples, para até 6 pessoas, baseado em chassis novo ou usado, Iveco XXS14 ou MB Sprinter.

Itapoã Aconcágua 600 – motorcasa de aproximadamente 7m, Classe C, para 6 pessoas, montado preferencialmente em chassis Iveco 55C16 ou 70C16
Motorcasa Itapoã Aconcagua 600 montado em chassis Iveco 70C16.

Itapoã Aconcágua 900 – motorcasa de aproximadamente 9m, Classe A, para 6 pessoas, não mais fabricado, que era montado preferencialmente em chassis Agrale ou VW, de potência de motor próxima a 150 HP.

 J
Janelas Finestra Car - Fabricante de janelas para veículos automotivos, sediado a Rua Santo Henrique, no 383, Vila Ré, São Paulo-SP, tel 11.2684-0096 / 0076, site http://www.finestracar.com.br/home.html
Janelas STILLUS - Fabricante de janelas para veículos automotivos, sediado a Rua Sold Antonio Romano de Oliveira, nº 19, Pq. Novo Mundo, São Paulo-SP, tel 11.2954-3917 2967-3480, site http://www.stillusjanelas.com.br/index.html
Jornada Overland *03- Viagem com duração maior do que três meses; viagens a longas distâncias por estradas ruins, trilhas, caminhos, sobre dunas, lama, travessia de águas, etc; estar em áreas completamente ou parcialmente desabitadas, sem nenhum apoio ou apoio precário; viajar em altas altitudes enfrentando climas extremos de frio e calor.
Junta Rotativa – equipamento de sistema rodocalibrador que é instalado na roda de um VR e que permite a transferência de ar para os pneus.
 K
Kaiper – fabricante de motorcasas com sede em São Leopoldo-RS. Fabrica os modelos Kaiper Style (baseado em chassis Iveco 55C16), Evolution 900 (baseado em chassis VW 9.150) e Evolution 1100 (baseado em chassis VW 1X-2XX ou MB 1X-2X). Veja site http://www.kaipermotorhome.com.br/ .
Karmannghia – fabricante de treilers e de motorcasas sediado em São Bernardo do Campo-SP que encerrou suas atividades na área de VR no ano de 1995. Veja sua história em http://www.macamp.com.br/TrailersKG.htm. Atualmente continua atuando na área de ferramentaria e montagens especiais (veja www.karmannghia.com.br)
Karmannghia Touring – motorcasa adaptado em VW Kombi de motor 1600c, com 4,86 m e capacidade para 2-3 pessoas (dinete + 1beliche de lona).
Karmannghia Karmann Mobil Safari – motorcasa adaptado em VW Kombi de motor 1600c, com 4,86 m e capacidade para 6 pessoas (dinete, cama suspensa sobre cabine e 2 beliches de lona).
Karmannghia Carolina – motorcasa adaptado em caminhão MB608D, com 7,28 m e capacidade para 4 pessoas (quarto de casal + dinete).
KC-270 (Colibri) – treiler de 1 eixo fabricado pela Karmannghia de 2.70 m e capacidade para 3 pessoas (dinete e beliche de lona). Seu peso médio de fábrica é 455 kg.
KC-330 (Tangará) – treiler de 1 eixo fabricado pela Karmannghia de 3.30 m e capacidade para 5 pessoas (cama de casal, dinete e 1 beliche de lona). Seu peso médio de fábrica é 750 kg.
KC-350 – treiler raro de 1 eixo fabricado pela Karmannghia de 3.50 m e capacidade para 5 pessoas (cama de casal, dinete e 1 beliche de lona).
KC-380 – treiler de 1 eixo fabricado pela Karmannghia de 3.85 m e capacidade para 5 pessoas (dinete, dinete(1 pessoa) e 2 beliches de lona). Seu peso médio de fábrica é 1040 kg.
KC-450a – treiler de 1 eixo fabricado pela Karmannghia de 4.50 m e capacidade para 6 pessoas (2 dinetes e 2 beliches de lona). Seu peso médio de fábrica é 1140 kg.
KC-450b – treiler de 1 eixo fabricado pela Karmannghia de 4.50 m e capacidade para 5 pessoas (1 dinete-casal, 1 dinete-solteiro e 2 beliches de lona). Possui Box separado para banho. Seu peso médio de fábrica é 1120 kg.
KC-520a (Pantanal) – treiler de 2 eixos fabricado pela Karmannghia de 5.20 m e capacidade de acomodação para 6 pessoas (2 dinetes + 2 beliches de lona).
KC-520b – treiler de 2 eixos fabricado pela Karmannghia de 5.20 m e capacidade de acomodação para 7 pessoas (1dinete-casal, 1 dinete-solteiro, 1 beliche e 2 beliches de lona).
KC-540(Aldebarã) – treiler de 2 eixos fabricado pela Karmannghia de 5.40 m e capacidade de acomodação para 6 pessoas (1 cama de casal, 1 dinete + 2 beliches de lona). É o primeiro da série com quarto de casal fechado. Seu peso médio de fábrica é 1510 kg.
Treiler KC-540 1987
KC-640(Familiare) – treiler de 2 eixos fabricado pela Karmannghia de 6.40 m e capacidade de acomodação para 8 pessoas (1 cama de casal, 1 dinete, 1 dinete-beliche + 2 beliches de lona). O quarto de casal é fechado. Seu peso médio de fábrica é 1640 kg.
Treiler KC-640 1993
KC-740 – treiler de 2 eixos fabricado pela Karmannghia de 7.40 m e capacidade de acomodação para 8 pessoas (1 cama de casal, 1 dinete, 1 dinete-beliche + 2 beliches de lona). O quarto de casal é fechado.
KC-770 – treiler de 2 eixos fabricado pela Karmanghia de 7.70 m e capacidade de acomodação para 11 pessoas (1 cama de casal, 1 dinete, 2 dinete-beliches + 3 beliches de lona). O quarto de casal é fechado. Seu peso médio de fábrica é 2180 kg.
 L
Layout – Arranjo geométrico dos móveis e equipamentos no interior de um VR.
Larturist – fabricante de motorcasas e campers (produziu aproximadamente 1000 campers) que tinha sede em São Paulo, mas que encerrou suas atividades.
Lastro – O lastro consiste em qualquer material usado para aumentar o peso e/ou manter a estabilidade de um objeto. No caso dos veículos automotores, o próprio peso do mesmo pode ser entendido como o lastro. Quanto mais pesado ou mais carregado, maior o lastro.
Leão- *02 – apelido para a caixa de dejetos(detritos) portátil, pois possui rodas e alça para transporte manual. Possui capacidade por volta de 40 litros.
Caixa de detritos Leão
Libra – unidade de pressão usada para enchimento dos pneus. 30 PSI (pound per square inch) é o mesmo que 30 libras por polegada quadrada (1libra = 0,453567 kg).
Limite de reboque (Towing Limit) – máximo peso passível de ser rebocado por um veículo.
Link – termo do inglês muito usado na informática. É o caminhamento ou endereçamento que possibilita acessar uma página ou arquivo digital.
Lona (canvas) – Termo originalmente aplicado para tecido resistente, de linho grosso, de algodão ou de cânhamo, do qual se fazem sacos, velas, toldos, tendas, barracas, etc. Atualmente se usa o mesmo termo para pisos e coberturas plastificadas (lonas plásticas).
Luton – termo britânico aplicado para motorcasa que possua cama sobre cabine (Classe C).
Luva - Vestimenta que cobre as mãos, punho e parte do antebraço. O seu uso é indicado quando em manutenções mecânicas, operação de descarrego da caixa de detritos e operação de engate/desengate de equipamentos rebocados.
Luzes (Lights) – A maioria dos motorcasas possui luzes internas de 12 e 110/220 V.
 M
Macaco (Jack) – Equipamento para levantar um objeto/veículo. Normalmente é usado para trocar pneus. Os macacos podem ter acionamento hidráulico (óleo), elétrico e mesmo manual.
Macaco Hidráulico (Leveller) – Permite o nivelamento do motorcasa quando estacionado em terrenos irregulares. Importante para o conforto, é também importante para o funcionamento dos sistemas hidráulicos (ralos, caixas de água, caixas de detritos, etc) e refrigeradores a gás, que requerem que o VR esteja nivelado na horizontal. É também chamado de nivelador hidráulico.
Mangueira de descarga da água servida (sewer hose) – mangueira para descarregar o tanque de água servida (gray water).
Adaptação com mangueira de piscina
Mangueira de descarga do pinicão (sewer hose) – mangueira para descarregar o tanque de detritos (black water).
Mangueira importada (kit) Adaptação com mangueira de piscina
Manivela – braço de força usado para levantar/abaixar as sapatas de apoio.
Manômetro - Instrumento utilizado para medir pressão. Normalmente a leitura é feita em ponteiro sobre escala de valores em PSI (ou libras).
Manta de EVA *02 – Manta de etileno vinil acetato (um tipo de plástico), normalmente de 2 cm de espessura e do tamanho de um colchonete. Isola a baixa temperatura e umidade do terreno, proporcionando maior conforto ao campista para dormir, principalmente quando a barraca está montada em lugares úmidos ou frios.
Máquina de lavar – equipamento para lavagem de roupas. A mais tradicional (e hoje não mais fabricada) empregada nos VRs é a Enxuta (nome de fabricante que passou a denominar genericamente a máquina de lavar). Sua principal característica é o acesso (tampa) localizado na parte frontal, o que é um quesito importante, pois permite que a mesma seja instalada em bagageiros.
Marretado (Self-Builded)- Motorcasa convertido em fundo de quintal, normalmente tendo como veículo base um ônibus usado. Normalmente o proprietário faz ou contrata os serviços de conversão em empresas não certificadas ou profissionais autônomos. A legislação atual não permite mais a legalização deste tipo de motorcasa: uma pena, pois existem aficionados que adoram um projeto pessoal de construção de um motorcasa.
Mata gato – cordão plastificado usado para fechar/arrematar/vedar cavidades intra-objetos. Por exemplo, pode ser usado para vedar vidros acoplados em armações metálicas de janelas.
MDF - É conhecido mundialmente e é ecologicamente correto. O MDF é um painel de fibras de madeira sendo sua composição homogênea em toda a sua superfície como em seu interior. Graças a sua resistência e estabilidade é possível obter-se excelentes acabamentos em móveis. Destaca-se pela possibilidade de ser pintado ou laqueado, podendo ser cortado, lixado, entalhado, perfurado, colado, pregado, parafusado, encaixado e moldurado, proporcionando sempre excelente acabamento, tanto com equipamentos industriais quanto com ferramentas convencionais para madeira. Apesar de ser um mito (o MDF é muito mais resistente), não é imune à umidade e aos cupins.
Metalon – peça de ferro galvanizado, normalmente em forma de cantoneira, utilizada na confecção dos esqueletos metálicos dos ônibus e veículos de recreação.
Monóxido de carbono – gás letal que é emitido pelos motores à combustão. Nunca acione um motor (de VR ou gerador) em ambiente fechado que você tenha que permanecer nele.
Monitor LCD (liquid cristal display) – monitor de TV de cristal líquido.
Montagem – tudo que diz respeito à adaptação/conversão de um VR. Basicamente é a forma como a carroceria do VR é construída como também a maneira que os equipamentos são integrados a esta carroceria.
Motorcasa (Motor Caravan ou Motorhome) – Veículo auto-propelido com estrutura de um veículo de recreação (VR). Pode ser montado sobre chassis de vans, pickups, caminhões e ônibus, novos ou usados. Atualmente só é permitida a conversão de veículo em motorcasa por empresas certificadas para tal.
Motorhome – veja motorcasa.
Motortrailer – fabricante de treilers, motorcasas, reboques e campers com sede em Pirassununga-SP. Seus equipamentos possuem isolamento térmico/acústico por poliuretano injetado. Detalhes podem ser vistos no site http://www.motortrailer.com.br/.
Motortrailer Águia Real – treiler de 7.60m de 2 eixos, fabricado pela Motortrailer do Brasil, com capacidade para 6 a 8 pessoas (quarto de casal, 1 dinete + beliches)
Motortrailer Albatroz I – treiler de 12.10m de 3 eixos, fabricado pela Motortrailer do Brasil, com capacidade para 8 a 10 pessoas (quarto de casal, 2 dinetes + beliches). Possui aparência externa em forma de casa.
Treiler Albatroz da MotorTrailer
Motortrailer Beija Flor – treiler de 4.00m de 1 eixo, fabricado pela Motortrailer do Brasil, com capacidade para 4 a 6 pessoas (1 dinete + beliches).
Motor Trailer Camper MTB 198 - Carroceria tipo Camper, a ser acoplada em pick-ups tipo: S10, Ranger, Dakota (Cabine extendida) ou Dodge-Ram Cabine Dupla. Capacidade para 03 a 04 pessoas (cozinha completa, banheiro com box separado, duas camas de casal.
Camper da Motortrailer
Motor Trailer Camper MTB 215 - Carroceria tipo Camper, a ser acoplada em pick-ups tipo: F1000, D20, Silverado, F250 (Cab. simples), F250 4x4 e Ram (Cab. Dupla). Capacidade para 03 a 04 pessoas (cozinha completa, banheiro com box separado, duas camas de casal.
Motor Trailer Camper MTB 272 - Carroceria tipo Camper, a ser acoplada em pick-ups tipo: F350, F250 4x4 e Ram (Cabine simples), F350 cabine dupla. Capacidade para 03 a 04 pessoas (cozinha completa, banheiro com box separado, duas camas de casal.
Motor Trailer Classe B - Motor-casa adaptada em veículos tipo furgão/van. Conta com cozinha completa, quarto de casal, dinete e banheiro com box.
Motortrailer Cisne – treiler de 7.15m de 2 eixos, fabricado pela Motortrailer do Brasil, com capacidade para 6 a 8 pessoas (quarto de casal, 1 dinete + beliches)
Motortrailer Condor – treiler de 9.10m de 2 eixos, fabricado pela Motortrailer do Brasil, com capacidade para 8 a 10 pessoas (quarto de casal, 1 dinete + beliches).
Motortrailer Dodge RAM 2500 – Motorcasa adaptado em caminhonete Dodge RAM 2500, comprimento de 7.80m, capacidade de acomodação para 6 pessoas (quarto de casal, dinete e cama suspensa sobre cabine).
Motortrailer Falcão – treiler de 9.10m de 2 eixos, fabricado pela Motortrailer do Brasil, com capacidade para 8 a 10 pessoas (quarto de casal, 2 dinetes + beliches).
Motortrailer Flamingo – treiler de 7.15m de 2 eixos, fabricado pela Motortrailer do Brasil, com capacidade para 6 a 8 pessoas (quarto de casal, 1 dinete + beliches). O que o diferencia do cisne é a sua aparência em forma de casa.
Motortrailer MB Sprinter – Motorcasa adaptado em utilitário MB Sprinter 413CDI, comprimento de 6,90m e com capacidade para 6 pessoas (quarto de casal, dinete e cama suspensa sobre cabine)
Motortrailer MTB1070 – Motorcasa adaptado em chassis de caminhão ou ônibus, comprimento de 10.70m, com opção de compartimento deslizante (slide-out) e capacidade de acomodação superior a 5.
Motorcasa MotorTrailer MTB1070 com slideout
MotorTrailer MTB 690
Motor-casa adaptada em veículo chassis/cabine. Comprimento total de 6,90m e com capacidade para 06 (seis) pessoas (quarto de casal, dinete e cama suspensa sobre a cama). Possui ainda slide-out (sistema deslizante para aumentar a sala).
Motorcasa MotorTrailer MTB 690 montada em chassis Iveco 55C16
MotorTrailer MTB 780
Motor-casa adaptada em veículo chassis/cabine. Comprimento total de 7,80m e com capacidade para 06 (seis) pessoas (quarto de casal com corredor, dinete e cama suspensa sobre a cama). Possui ainda slide-out (sistema deslizante para aumentar a sala).
MotorTrailer MTB 850
Motor-casa adaptada em veículo chassis/cabine. Comprimento total de 8,50m e com capacidade para 06 (seis) pessoas (quarto de casal com corredores laterais, dinete e cama suspensa sobre a cama). Possui ainda slide-out (sistema deslizante para aumentar a sala). Produção a partir de 2011.
Multímetro - Instrumento medidor de corrente, tensão e resistência elétricas. Um campista preparado sempre tem um multímetro na sua caixa de ferramentas.
Multímetro digital
Munheca (Hitch Lock) – Equipamento que conecta com segurança o cambão na bola do engate. Possui um sistema de travamento apropriado para este tipo de conexão.
Munheca do Engate. Veja em http://www.transtrailer.com.br/foto/pecas/kg/Im000818.jpg
 N
Nautika – fabricante de equipamentos de cobertura e de lazer. Veja http://www.nautika.com.br/
NovoTrailer – Revendedora de VRs situada a Rodovia BR-101, KM 191 (ao lado do posto da PRF), Biguaçu (Grande Florianópolis), tel 48.3285-4000, site www.novotrailer.com.br .
 O
Ônibus rodoviário – ônibus que foi fabricado para uso em rodovias intermunicipais, estaduais ou nacionais. Normalmente são mais potentes, mais luxuosos, de melhor design e de melhor acabamento que os urbanos.
Ônibus urbano – ônibus que foi fabricado para uso em ruas e avenidas de uma cidade.
Oscilação – Em geradores, é o mau funcionamento do mesmo devido à má alimentação elétrica ou má alimentação de combustível. Na prática o motor do gerador oscila entre altas e baixas rotações.
Overland (que vai por terra) – Termo do inglês com o qual se denomina motorcasas especiais adaptados para viagens longas em condições de terreno mais rigorosas. Normalmente possuem área habitável pequena, tração 4x4 e boa autonomia (possui reservatórios maiores para água e combustível e é auto-suficiente em energia). Outro detalhe importante nos veículos Overland é a redundância, ou seja, sempre existe uma segunda opção caso um equipamento falhe. Como exemplo, pode ter geração de energia via painel solar e gerador.
Ozônio - O ozônio ou trioxigênio é uma molécula triatômica (O3) do oxigênio muito menos estável que o diatômico O2. É uma molécula composta por três átomos de oxigênio. Forma-se quando as moléculas de oxigênio (O2) se rompem devido à radiação ultravioleta, e os átomos separados combinam-se individualmente com outras moléculas de oxigênio (O + O2 = O3).
 P
Painel solar – painel que aquecido pelo sol gera energia que pode ser acumulada em baterias.
Parede lateral (Sidewall) – Parte do pneu que não toca o solo.
PBT – peso máximo total que o veículo pode transmitir para o pavimento (carga + tara).
Pêndulo (Yaw ou Sway) – A tendência de um VR rebocado de girar horizontalmente ao redor da bola do engate. Refere-se ao movimento pendular em que o treiler oscila de um lado para o outro da pista repetidamente quando sendo tracionado. Os ingleses denominam os pêndulos mais severos de snake. Veja detalhes em http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Pendulo%20em%20trailers.pdf
Movimento horizontal pendular de um treiler
Pêndulo japonês (porpoising) – Movimento pendular vertical exercido pelo treiler quando em movimento. Pode ocorrer no caso de frenagens ou passagem sobre lombadas/depressões. Veja detalhes no mesmo link de texto do item anterior.
Movimento pendular vertical – pendulo japonês.
Persiana – equipamento para ser acoplado a janelas que permite isolamento de luz ou inibição de visão. Normalmente é feita de palhetas de plástico dispostas em paralelo.
Peso bruto total – Ou PBT, é o peso total de um VR, aí incluindo-se o veículo, acessórios, líquidos, cargas, mantimentos, vestuários, equipamentos, etc.
Peso em marcha – Também chamado de tara, é o peso do VR sem nenhum tipo de carga, ou seja, o peso próprio do veículo, acrescido dos pesos da carroceria e/ou equipamento, do combustível, das ferramentas e dos acessórios, da roda sobressalente, do extintor de incêndio e de todos os fluidos necessários para o seu funcionamento.
Peso sobre bola (Noseweight) – Também conhecido como peso vertical estático. É o peso aplicado pela bequilha do treiler na bola de engate do veículo rebocador. A falta ou excesso de peso sobre bola do engate num conjunto carro+reboque é um grande agravante que pode culminar em pêndulo e acidente. Este peso é necessário para empurrar o carro rebocador contra o solo, o que aumenta o atrito das rodas traseiras e dá maior estabilidade. Sem peso sobre a bola, o reboque pode até levantar a traseira do carro: isto acontece com maior freqüência em reboques de mais de um eixo, pois é mais difícil calibrar este peso nestes modelos. Também não coloque muito peso sobre a bola, pois isto levanta e desestabiliza a dianteira do veículo rebocador. É regra geral aplicar 10% do peso do reboque na bola do engate. Se seu veículo não agüenta 10% do peso do reboque, troque o veículo, pois o mesmo não é adequado para formar o conjunto rebocador/rebocado. É importante lembrar que mudanças na suspensão por troca ou desgaste de peças, uso de modelos diferentes de pneus, pneus desbalanceados e distribuição desbalanceada de peso num reboque provocam alteração para mais ou para menos no peso sobre a bola do engate. Abaixo 2 maneiras de como obter o peso sobre bola do engate.
Petrobras “De olho no Combustível” – programa de fiscalização da qualidade do combustível para poços de bandeira Petrobras (BR). Se o posto tem a bandeira “De olho no combustível”, é um posto fiscalizado pela distribuidora BR.
Pfister – empresa de montagem/reforma de veículos especiais (incluindo-se VRs) localizada na Rua Joanópolis, 332, Jardim Marilândia, CEP 29.112-150, Vila Velha-ES, tel 27.3359-4999. Veja site www.pfister.com.br .
Pinicão – nominação popular da caixa de detritos. Veja matéria em
http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Esvaziando%20seu%20pinicao.pdf
Piso (Groundsheet )- Forro ou piso que é normalmente usado na parte externa do VR e serve para isolar/diminuir o contato com o solo.
Piso do toldo (Awning Carpet )- Piso utilizado sob o toldo. Normalmente é poroso, o que evita danos maiores em locais com grama.
Placa galvanizada – placa de ferro que sofreu processo de galvanoplastia, ou seja, a parte externa da mesma foi recoberta por outros metais (níquel, cobre, etc) através de processos eletrolíticos.
Plataforma mecânica – associação entre chassis e marca. Se é um chassis Volvo, a plataforma mecânica é Volvo.
Pneu (Tyres) – Os pneus dos VRs são os comumente utilizados nos veículos normais, escolhendo-se entre eles os que melhor se adaptam ao peso final ou peso bruto total (PBT). Veja matéria sobre pneus em http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Cuidedospneus.pdf
Pneu careca – pneu que já consumiu a parte de borracha destinada à rodagem, que normalmente possui ranhuras.
Pneu Desbalanceado – Pneu com pressão acima/abaixo da recomendada
Pneu Estepe (Spare Wheel)- Pneu-reserva dos veículos motorizados, aí incluindo-se os motorcasas. Embora fortemente recomendado, os treilers e carretas-barraca não incorporam este acessório como de fábrica.
Podridão seca – enfraquecimento dos pneus provocado principalmente na presença de umidade e exposição ao Sol. Se intensifica nos casos de baixo uso. Se apresenta na forma de pequenas rachaduras nas laterais dos pneus.
Ponta de lança – estrutura metálica em V na qual são acomodadas a bequilha, a munheca do engate, a caixa de gás e o sistema de frenagem de um treiler. Esta estrutura é soldada nas longarinas do treiler. Na ponta de lança pode ser instalado também o estabilizador para prevenção de pêndulos.
Ponta de lança de um treiler Turiscar com bequilha, freio de reação, freio de mão e munheca
Porta-Potti – Nome fantasia de toalete químico que perseverou como nome do equipamento. É muito utilizado nos treilers e conhecido como vaso porta-potti.
Sanitário tipo porta-potti. Veja em http://www.transtrailer.com.br/foto/pecas/campapotti.jpg
Potência elétrica - Quantidade de energia em watts (w=watts=amperagem x voltagem) gerada por um equipamento elétrico. Um equipamento de 10 amperes e 127V vai gerar 1270w de forma contínua.
Potência de pico – quantidade de energia máxima em watts que pode ser gerada instantaneamente. Os equipamentos que consomem energia elétrica também podem ter potência de pico, ou seja, é a potência necessária para se ligar o equipamento. Como exemplo, um ar condicionado pode consumir continuamente 1400w, mas para ser ligado pode requerer uma potência de pico de 1900w.
PPM – partes por milhão. 500 ppm significa que o produto possui 500 partes de um determinado componente num total de 1 milhão de partes. Como exemplo, o diesel S500 possui até 500 partes de enxofre por 1 milhão de partes.
Pressão de fluxo – pressão suficiente para iniciar o carreamento de líquidos/sólidos numa determinada direção. Como exemplo, é a pressão que é exercida pela coluna de água para expulsar todo o conteúdo da caixa de detritos para a fossa.
Propano (propane) – Tipo de gás liquefeito de petróleo (de cozinha) mais indicado para regiões de baixa temperatura, uma vez que o seu ponto de congelamento (temperatura) é menor.
Programa de qualidade de combustível – Toda grande empresa de distribuição de combustíveis tem um programa de acompanhamento da qualidade do combustível nos seus postos de venda. O objetivo é evitar que o combustível seja adulterado. Veja detalhes em
http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Combustiveis_qualidade.pdf
Protetor retrátil – cortina retrátil normalmente instalada imediatamente atrás do parabrisa. Serve para evitar a luz direta do sol quando em viagem.
PU – tipo de pintura empregada em ônibus e motorcasas que usa verniz poliuretano.
 Q
Quinta Roda (Fifth Wheel Trailer) – Tipo de treiler cujo equipamento de engate é instalado sobre a carroceria do veículo rebocador, semelhante às carretas rodoviárias (veículos articulados). Raro na Europa, é muito comum nos EUA.
Treiler 5ª roda Coachmen, modelo Chaparral (Americano)
Quadratura dos pneus (flat spot) – Perda do arredondamento da parte que toca o solo, que tenderá a ficar com uma face ligeiramente reta. Acontece quando o veículo fica estacionado por um longo período de tempo. Neste caso haverá um enfraquecimento geral da estrutura do pneu nesta parte que toca o solo (lateral e rodagem do pneu). Daí advém o termo campista “roda quadrada”.
 R
Rack – armação metálica ou de plástico resistente que permite a guarda/transporte de pequenas cargas. Um bagageiro de teto pode ser denominado de rack.
Raio ultra-violeta - A radiação ultravioleta (UV) é a radiação eletromagnética com comprimento de onda menor que a da luz visível e maior que a dos raios X, de 380 nm a 1 nm. O nome ultra (do latim) significa mais alta que (além do) violeta, pelo fato que o violeta é a cor visível com comprimento de onda mais curto e maior frequência. Está presente na luz do Sol.
Rebite - O rebite ou arrebite é um fixador mecânico metálico, semipermanente. Antes de sua instalação, consiste num cilindro com uma cabeça em uma das extremidades, similar a um prego ou pino. Sua instalação é feita num orifício pré-perfurado, através do achatamento da parte deformável, que é normalmente feita de alumínio.
Rebocador – Veja tracionador.
Recursos comunitários - mercados públicos, artesanato regional, arquitetura singular
Recursos naturais e/ou cênicos – Espécies raras de fauna e flora, Geologias singulares, Cavernas, montanha altas, cachoeiras, águas limpas, etc.
Recursos do patrimônio histórico-cultural - igrejas barrocas, ciclo do ouro, sítio histórico, comunidades negros quilombolas, etc.
Recursos recreacionais ao ar livre - parques Nacionais, áreas de grande beleza cênica, áreas de proteção ambiental (APA), área para aninhadas e banhos
Refrigerador (Refrigerator)- Equipamento elétrico ou a gás que permite manter ou resfriar víveres. Geladeira.
Retração de bequilha – sistema utilizado em treiler onde a bequilha do mesmo funciona como um pistão para injeção de fluido de freios no sistema de frenagem do VR. Este sistema é acionado de forma retardada após o acionamento dos freios do veículo rebocador ou por qualquer outro evento que provoque desaceleração menor do treiler em relação ao veículo rebocador.
Revestimento - É quem efetivamente isola o interior do VR do calor do sol, do frio, da neve, da chuva, da poeira, etc. O revestimento por si só não é selante. A umidade pode penetrar por cavidades do revestimento que não estejam adequadamente seladas.
Revisão de entrega (Pre-delivery Inspection) – Inspeção feita pelo revendedor autorizado antes da entrega de um veículo novo ao cliente. O intuito é detectar possíveis irregularidades ou mau funcionamento não detectado na fábrica.
Roda da bequilha-*01 (Jockey Wheel)- pequena roda instalada na ponta de lança de um treiler que suporta o peso frontal excedente quando este não está sendo rebocado. Facilita a movimentação manual do treiler. É parte integrante da bequilha.
Roda desbalanceada – roda (aro+pneu) com distribuição irregular de peso ao longo dos 360º ou ao longo da direção interna/externa. Provoca vibrações no volante.
Roda quadrada – campista que utiliza um VR que está sempre estacionado. É muito comum o uso de treilers para esta finalidade. Este tipo de uso pode configurar uma casa de campo e em alguns casos funciona mesmo como residência. Um exemplo deste tipo de campista são os “roda quadrada” do camping CCB do Recreio (RJ-10).
Rodagem (Tread) – Parte do pneu que toca a superfície da rodovia.
Rodízio de pneus – troca da posição dos pneus num veículo após um tempo de uso ou após determinada quilometragem.
Rodoar® - Marca registrada do rodocalibrador automático de pneus da VDO.
Rodocalibrador - Rodocalibrador é um sistema automático de calibragem de pneus utilizado em veículo que possua compressor de ar. Funciona da mesma forma que um calibrador normal que podemos encontrar em um posto de gasolina, com a vantagem de poder ser usado com o veiculo em movimento. Consiste basicamente de um painel de controle, uma rede de mangueiras de ar e válvulas de transferência acoplada às rodas dos veículos. Veja matéria sobre rodocalibradores em http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Rodocalibradores.pdf
Rody Trailers - Fabricante de motorcasas e treilers situado a Av. Alfredo Savi, S/N, Jd. Novo Itu, Itu/SP, CEP 13301-180, Telefone: 11.4023 – 7110, Fax: 11.4022 – 1146, Nextel: 30*54626 , Nextel: 30*9886. Muito procurado pelos campistas pois possui também oficina para reparos em VRs e para instalação de equipamentos. Veja site http://www.rodytrailer.com.br/
 S
Saco de dormir – manta fechada em formato de saco muito usada por campistas de aventura (boondocking) para dormir. È feita de tecidos e material plastificado (impermeável). Veja maiores detalhes em http://www.trilhaseaventuras.com.br/atividades/materia.asp?id_atividade=2&id=17 .
Sanitário Aqua Magic – sanitário de plástico que é padrão em VRs. Possui acionamento (flush) de descarga manual ou de pedal. Aqua Magic é o nome dado pelo fabricante para um modelo de sanitário.
Santo Inácio – fabricante de motorcasas com sede em Gramado-RS. Fabrica os modelos Santo Inácio 7.5, 8.1 e 8.5, baseados em chassis Iveco 55C16 e 70C16. Veja site do fabricante http://www.santoinaciomotorhomes.com.br/
Sapata hidráulica – veja macaco hidráulico.
Sapata de apoio – tipo de macaco, normalmente manual, que fica acoplado nos 4 cantos (abaixo do piso) de um treiler. Permite o nivelamento como também elevação parcial do treiler. No caso de ser usado para elevação, nunca eleve totalmente o treiler: nem as sapatas nem a estrutura
metálica no local onde estão estas acopladas foram projetados para suportar o peso total do treiler. As sapatas de apoio são normalmente manipuladas com manivelas.
Sapata de apoio. Veja http://www.transtrailer.com.br/foto/pecas/kg/Im001263.jpg
Sebben Sport Racing – fabricante de motorcasas para apoio em competições automotivas. Fabrica os modelos Astor, baseado em chassis VW 9-150. Veja detalhes no site do fabricante http://www.sebbensport.com.br/ .
Selante – material aplicado para impermeabilizar uma determinada área. Normalmente é produzido a partir de resinas. Um exemplo de selante é o silicone, que é uma mistura do mineral sílica (SiO2) com polímeros orgânicos.
Serpentina – duto metálico retorcido com muitas espirais em espaço reduzido que serve para trocas de calor entre o fluido interno circulante e o meio externo envolvente. É normalmente utilizado nos aquecedores a gás.
Shell DNA – programa de qualidade do combustível para poços de bandeira Shell. Se o posto tem a bandeira DNA da Shell, é um posto fiscalizado pelo distribuidor.
Scheid – fabricante de motorcasas sediado na Av. Arnaldo Pereira da Silva, 796 - São Leopoldo / RS Fone/Fax: 51.3037-4427. Veja site www.motorhomescheid.com.br. Está retornando às atividades após compra de direito de marca.
Shurflo – fabricante americano de bomba de água. A sua maior linha é a de 12V para VRs.
Sinal aberto – sinal de TV aberto ao público, sem necessidade de pagamento de taxas.
Sistema bola-munheca – modelo de engate onde a bola de metal fica acoplada no veículo rebocador e a munheca faz parte do cambão ou da estrutura na ponta de lança do treiler. A munheca possui um sistema de trava que evita que a mesma se desacople da bola. É o modelo mais difundido para reboque de veículos/equipamentos sobre rodas.
Slide Out – compartimentos expansivos laterais. Normalmente corre sobre trilhos acionado por sistema hidráulico, permitindo que determinadas áreas internas de um VR sejam aumentadas (sala, quarto, etc).
Split – termo aplicável para um tipo de ar condicionado que possui sistema de geração e distribuição em módulos separados. O termo é original do Inglês e significa dividir/separar em 2.
Sobrecarga – uso de equipamento com peso/capacidade acima do máximo permitido. Por exemplo, os pneus possuem carga máxima admissível: se este limite for ultrapassado, vai haver sobrecarga.
SportTrailers – revendedor autorizado de motorcasas Itapoan e VRs usados, sediado a Av. Inajar de Souza, 1489, Bairro Freguesia do Ó, São Paulo - SP, tels 11.3931-9911, 11.3931-0495 e Nextel ID. 11*19779, site  www.sportrailers.com.br .
Ilustração de treiler 5ª roda Coachmen, modelo Chaparral (Americano), com slide-out
Sub Chassi de torção livre *03 - Chassi que repousa sobre o original que é preso a este por um sistema móvel que evita a transferência de torção do chassi principal para o motorcasa: isto evita rachaduras e trincas no habitáculo (casa) e também evita danos a mobília. Maiores detalhes podem ser vistos em www.camaradahome.com.br .
Suporte para copos – porta-copos de material plástico que é fixado nas partes (paredes) internas do VR.
 T
Taco Ar - Fabricante de rodocalibrador automático de pneus.
Tacógrafo – Registrador gráfico (tinta sobre papel) da velocidade de tráfego de um veículo. Só é exigido para veículos comerciais, nunca para veículos de categoria particular, como é o caso dos motorcasas. O dispositivo que regulamenta o uso de tacógrafos é claro sobre isto.
Tacógrafo MTCO 1390
Tara – Veja peso em marcha.
Tecnotrailer – fabricante de motorcasas que não está mais na ativa
Tela anti-inseto (Flyscreen) – tela colocada em janelas, portas e clarabóias que permitem a circulação de ar, mas que evitam a entrada de insetos.
Teto (Roof) – parte superior de um VR. É o local adequado para instalação de antenas de TV, sistemas de ventilação/refrigeração, clarabóias, exaustores, etc. Veja detalhes de manutenção do teto em http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Cuidandodoteto_doseuVR.pdf
Teto retrátil (Pop Top) – Tipo de teto usado em VR que possui mecanismo de elevação. Uma vez rebaixado, permite maior economia de combustível em viagem como também permite guarda em garagens de altura menor.
Teto solar (Roof Light) – Painel transparente ou semitransparente que pode ser parcialmente aberto para permitir ventilação/claridade adicional.
Texaco “Combustível aprovado” – programa de fiscalização da qualidade do combustível para poços de bandeira Texaco. Se o posto tem a bandeira “Combustível Aprovado”, é um posto fiscalizado pelo distribuidor Texaco.
The Caravan Club – O primeiro clube de caravanistas(campismo sobre rodas) da Europa, sediado em Londres, Inglaterra. Veja o site http://www.caravanclub.co.uk
Tirantes (Guy lines) – Cordas ou elásticos utilizados para estabilizar os toldos ou tensionar o tecido das barracas. O mesmo que estirante.
Toalete Químico (Chemical Toilet)- Reservatório para armazenamento de dejetos que requer esvaziamento manual periódico. Fluidos químicos especiais (tipo aqua kem) são adicionados para dissolver os dejetos e diminuir a presença de maus odores. O vaso porta-potti é o toalete químico mais conhecido. A caixa de detritos (pinicão) do VR é também um toalete químico.
Toldo (Awning)- Cobertura tipo tenda que é fixada na lateral do VR. Possibilita sombra, uma área de estar (tipo varanda) como também uma área livre e coberta que pode servir para armazenamento. Existem modelos que possuem fechamento lateral, o que possibilita também a criação de uma área para dormir. Normalmente os toldos não cobrem todo o comprimento do VR, mas principalmente cobre os arredores da porta de saída. Os toldos são sustentados por hastes metálicas, podendo ter abertura manual ou automática (elétrica).
Toldos LINCOLN - Fabricante de toldos especializado em VRs sediado em Curitiba-PR à Rua Capiberibe, 167, Santa Quitéria, telefone 41.3274-8455.
Toldo REAL- Fabricante de toldos especializado em VRs sediado em São Paulo-SP à Avenida Vila Ema, 4654, Vila Ema, tel 11.2911-2391, site www.realtoldos.com.br .
Tomada (Hook-up) – equipamento de conexão à energia elétrica pública.
Tomada (plug) 7 polos – tomada para passagem das conexões elétricas veículo rebocador / veículo rebocado. São repassados de um veículo para o outro os sinalizadores de direção (setas), luz de freio e lanterna.
Conjunto de tomada 7 polos (macho e fêmea)
Torque – A força de giro produzida por um motor. Um motor de torque alto permite menor troca de marchas e melhor performance ao rebocar. No entanto, deve-se buscar um motor que tenha torque apropriado para o peso a ser transportado, pois quanto maior o torque maior o consumo de combustível.
Torneira monocomando – tipo de torneira que permite a mistura de 2 fluidos (exemplo, água quente e fria) com a manipulação de uma única alavanca. Também denominada torneira escamoteável.
Tracionador – que traciona. É o termo empregado para os veículos que puxam (tracionam) qualquer outro veículo ou equipamento que esteja sobre rodas.
Trailcar – fabricante de motorcasas sediado em Joinville-SC que encerrou suas atividades em 2007. Seus modelos mais conhecidos são os motorcasa Corsair, Commander e o Concorde. Os modelos Trailcar são apelidados de “”tanques”, pois tiveram uma grande evolução técnica em acabamento/durabilidade/robustez.
Motorcasa Trailcar montado em chassis VW 9-150.
Trailemar – fabricante de motorcasas que tem sede na Rodovia BR 277(Curitiba-Ponta Grossa), km 121, em Campo Largo-PR. Veja site www.trailemar.com.br .
Interior do motorcasa Volcano, montado pela Trailemar em plataforma VW 9.150 ou MB 915
Trailer ou Treiler (Caravan) – Uma casa ambulante (sobre rodas). Obedece padrões de rodagem de um veículo comum mas precisa ser rebocado por um veículo motorizado. No seu interior devem ser encontrados os requisitos mínimos de uma moradia: cama, fogão e banheiro.
Treiler Jayco Eagle (Americano)
Transtrailer – revendedor de VRs e equipamentos para VRs sediado no Rio de Janeiro - RJ. Também atende serviços de movimentação (transporte) de treilers. Veja site http://www.transtrailer.com.br/ .
Travel trailer – nominação americana para os treilers comuns.
Treilar – fabricante de motorcasas e equipamentos para VRs que tem sede em Curitiba-PR. Veja site www.treilar.com.br .
Treliça – porta em madeira treliçada para uso interno num VR. Normalmente é usada para exaustão de calor gerado por fogão, geladeira, microondas, etc.
Tulha – local fechado (compartimento) que permite armazenamento de equipamento/objetos. O bagageiro é uma tulha.
Turiscar - fabricante de treiler e motorcasa sediado em Novo Hamburgo-RS que encerrou suas atividades no final da década de 90. Veja sua história em
http://www.macamp.com.br/Turiscar000.htm. Detalhes sobre os motorcasa Turiscar podem ser vistos em http://www.macamp.com.br/mhomesturiscar.htm.
Turiscar Baby– treiler raro de 1 eixo fabricado pela Turiscar, de 2.70m e capacidade de acomodação para 2 pessoas (1 dinete). Seu peso médio de fábrica é abaixo de 445 kg.
Turiscar Bambino– motorcasa de 6.40m montado em plataformas Iveco e Mercedes Benz Sprinter, com capacidade para 6 pessoas (quarto de casal, dinete e cama suspensa sobre cabine)
Turiscar Brilhante Sport– treiler de 1 eixo fabricado pela Turiscar de 4.40 m e capacidade de acomodação para 6 pessoas(2 dinetes+2 beliches de lona). Seu peso médio de fábrica é 1100 kg.
Turiscar Brilhante Luxo– treiler de 1 eixo fabricado pela Turiscar de 4.80 m e capacidade de acomodação para 6 pessoas (2 dinetes + 2 beliches de lona). É o primeiro da série a incorporar box de banho separado. Seu peso médio de fábrica é 1210 kg.
Turiscar Caribe 1– motorcasa de 6.50m montado em plataforma Agrale de Motor MWM 1800RD e capacidade para 4 pessoas (quarto de casal + dinete)
Turiscar Caribe 2– motorcasa de 7.00m montado em plataforma MB 708D e capacidade para 4 pessoas (quarto de casal + dinete)
Turiscar Caravana– treiler de 1 eixo fabricado pela Turiscar de 3.30 m e capacidade de acomodação para 4 pessoas (1 dinete-casal + beliche). Seu peso médio de fábrica é 590 kg.
Treiler Turiscar Caravana 1978
Turiscar Eldorado– treiler de 1 eixo fabricado pela Turiscar de 3.05 m e capacidade de acomodação para 3-4 pessoas (1 dinete-casal + cama de solteiro ou 2 beliches). Seu peso médio de fábrica é 640 kg.
Turiscar Diamante– treiler de 2 eixos fabricado pela Turiscar de 6.60 m e capacidade de acomodação para 8 pessoas (cama de casal, 1dinete, 2 beliches + 2 beliches de lona). Seu peso médio de fábrica é 1620 kg.
Turiscar Imperial Luxo– treiler de 2 eixos fabricado pela Turiscar de 8.40 m e capacidade de acomodação para 8 pessoas (cama de casal, 1 dinete, 2 beliches + 2 beliches de lona). Seu peso médio de fábrica é 2405 kg.
Turiscar Imperial Residence– treiler de 2 eixos fabricado pela Turiscar de 8.60 m e capacidade de acomodação para 10 pessoas (cama de casal, 2 dinete2, 1 beliche + 2 beliches de lona). Seu peso médio de fábrica é 2360 kg.
Turiscar Jóia– treiler de 1 eixo fabricado pela Turiscar de 3.05 m e capacidade de acomodação para 3 pessoas (1 dinete-casal + cama de solteiro). Seu peso médio de fábrica é 445 kg.
Turiscar Miramar – motorcasa de 6.50m montado em chassis de caminhão Ford F4000, com capacidade para 4 pessoas (dinete + cama sobre cabine). O detalhe principal do Solymar é a ausência do quarto de casal.
Turiscar Montecarlo – motorcasa de 11m (antecessor do Riviera 1100) montado em chassis de qualquer fabricante, com capacidade para 6 a 9 pessoas (quarto de casal , dinete, beliche e sofá)
Turiscar Monterrey 1100– treiler de 2 eixos fabricado pela Turiscar de 11.00 m e capacidade de acomodação para10 pessoas (quarto de casal, quarto de solteiro, 1 dinete, 2 beliches + 2 beliches de lona). É o famoso Quinta Roda: o suporte de engate que deve ser atrelado sobre a carroceria do veículo rebocador é interpretado como uma quinta roda. Seu peso médio de fábrica é 3160 kg.
Turiscar Riviera 900 ou 1100 – motorcasa de 9 ou 11m montado em chassis de qualquer fabricante, com capacidade para 6 a 9 pessoas (quarto de casal , dinete, beliche e sofá)
Turiscar Rubi– treiler de 2 eixos fabricado pela Turiscar de 6.20 m e capacidade de acomodação para 6 pessoas (cama de casal, 1 dinete + 2 beliches de lona). É o primeiro da série a incorporar quarto de casal fechado. Seu peso médio de fábrica é 1400 kg.
Turiscar Solymar – motorcasa de 7.40m montado em chassis de caminhão MB 608E a 912 e Ford F4000, com capacidade para 4 a 6 pessoas (quarto de casal , dinete + cama sobre cabine). O detalhe principal do Solymar é a preservação de parte da cabine original do caminhão.
Turiscar Vila Rica Luxo– treiler de 2 eixos fabricado pela Turiscar de 7.40 m e capacidade de acomodação para 8 pessoas (cama de casal, 1 dinete, 2 beliches + 2 beliches de lona). Seu peso médio de fábrica é 2290 kg.
Turiscar Vila Rica Residence– treiler de 2 eixos fabricado pela Turiscar de 7.60 m e capacidade de acomodação para 10 pessoas (cama de casal, 2 dinetes, 2 beliches + 2 beliches de lona). Seu peso médio de fábrica é 2360 kg.
Turiscar Vogue– motorcasa de 7.65m montado em plataforma Mercedes 708D e capacidade para 4 (quarto de casal + dinete) ou 6 pessoas (quarto de casal + dinete + beliche)
 V
Van – Uma abreviação de caravan. Veículo médio motorizado cabinado que pode ser utilizado para transporte de passageiros e que é comumente convertido em motorcasa, principalmente na Europa. São exemplos deste veículo os Iveco 49-xx, MB Sprinter 4xx e Renault Master.
Válvula de descarga – Válvula utilizada para abertura manual da caixa de detritos e de água servida.
Válvula de descarga modelo Turiscar
Válvula pneumática de descarga – válvula de descarga automática com comando pressurizado a ar. Pode ser acionada automaticamente do interior do VR através da manipulação de uma chave com comando pressurizado.
Válvula de retenção – válvula do sistema rodocalibrador que controla a passagem de ar pressurizado dos pneus para o rodocalibrador e vice-versa.
Vão livre – Distância entre o solo e o equipamento mais baixo no entre-rodas de um veículo. Normalmente é a distancia entre o diferencial (caixa de redirecionamento da transmissão motor/roda) e o solo.
Veículo Base (Base Vehicle) – O veículo (modelo) usado como plataforma para a montagem de um MotorCasa. Normalmente é uma Van ou chassis de caminhão/ônibus.
Vela – equipamento emissor de faísca elétrica usado nos aquecedores a gás.
Velocidade de cruzeiro – velocidade adequada e segura para um conjunto carro+treiler.
Velocidade máxima de segurança - Máxima velocidade admissível para um conjunto carro+treiler. Até este nível de velocidade tudo funciona corretamente e com presteza. Não há risco de pêndulo. Veja detalhes em
http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Pendulo%20em%20trailers.pdf
Velocidade mínima de alto risco (ou mínima de alta velocidade) - A partir deste ponto, tudo funciona mal, inclusive o condutor, que já perdeu o bom senso. Veja detalhes em
http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Pendulo%20em%20trailers.pdf
Ventana-*02 – Janela.
Ventilação (Ventilation) – Todos os tipos de VRs devem possuir sistemas de ventilação adequados para o bem estar dos ocupantes. São preferencialmente instalados no teto dos VRs.
Ventilador de teto (Roof Vent) – Equipamento de ventilação que fica fixado no teto do VR.
Vettura – fabricante de motorcasa sediado em São Leopoldo-RS. Veja o site
http://www.vettura.com.br
Vettura Adventurer 4x4 – motorcasa (2010) fabricado sobre chassis da Dodge RAM 2500 ou F4000, modelos 4x4, com comprimento de 7m e capacidade de acomodação para 6 pessoas (quarto de casal, dinete e cama suspensa sobre cabine). No F4000 existe opção para instalação de slide-out.
Vettura American Dream – motorcasa (2010) fabricado sobre chassis Mercedes Benz, Agrale, Scânia, Volvo, Volkswagen ou ônibus usado, com comprimento de 10 a 14m e capacidade de acomodação variável de 6 a 10 pessoas (quarto de casal, beliche, dinete e sofá). Possui opção de slide-out (compartimento deslizante, expansão lateral da sala).
Vettura Clean – motorcasa (2010) fabricado sobre chassi da Renault Master, com peso de 3500 kg, o que permite ser dirigido com carteira B. Com comprimento de 5.85m e capacidade de acomodação para 2 pessoas (quarto de casal).
Vettura Dream House – motorcasa (2010) fabricado sobre chassis Agrale MA 8.5, MB LO915, VW 9.150 ou ônibus usado, com comprimento de 9m e capacidade de acomodação até 6 pessoas (quarto de casal, dinete e sofá). Possui opção de slide-out (compartimento deslizante, expansão lateral da sala).
Planta baixa de um modelo Vettura Dream House em plataforma VW 9-150 ou MB 915
Vettura Road Runner – motorcasa fabricado até 2006 sobre chassis Mercedes Benz, Agrale, Scânia, Volvo, Volkswagen ou ônibus usado, com comprimento de 10 a 14m e capacidade de acomodação variável de 6 a 10 pessoas (quarto de casal, beliche, dinete e sofá). Foi substituído pelo American Dream.
Vettura Solider House – motorcasa (2010) fabricado sobre chassis Iveco 49-12, 50-13, 60-13, 55c16/35, 44s14 e MB Sprinter 410/413, com comprimento de 7.5m e capacidade de acomodação para 6 pessoas (quarto de casal, dinete e cama suspensa sobre cabine).
Vettura Solider House em plataforma MB Sprinter
Vettura Super Beee – motorcasa (2010) fabricado sobre chassis furgões Renault Master, Sprinter e Iveco, com comprimento de 5 a 7m e capacidade de acomodação para 2 pessoas (quarto de casal). O modelo baseado em Iveco 55c16 possui acomodação para 4 pessoas, com adição de um dinete.
Victoria Camp – motorcasa fabricado pela Victoria Motorhomes em plataforma MB-LOxxx, VW N-XXX ou micro-ônibus usado.
Modelo Victoria Camp montado em chassis VW 8-120.
Victoria Country – motorcasa multifuncional fabricado pela Victoria Motorhomes em plataforma 4x4 ou tração traseira adaptado para transporte de animais. Indicado para participantes de rodeios ou exposições agropecuárias.
Victoria Drew bee – motorcasa fabricado pela Victoria Motorhomes em plataforma furgão Renault Master (Classe B).
Victoria Expedition – motorcasa fabricado pela Victoria Motorhomes em plataforma 4x4 F-4000, Marruá ou Dodge RAM, adaptado para melhores performances em longas viagens e off-road.
Victoria MotorHomes – montadora de motorcasas e veículos de expedição sediada em Joinville-SC. Era um braço da Vettura que agora tem nome próprio. Veja seus produtos no site http://www.victoriamotorhomes.com.br .
Visor de chama - área normalmente envidraçada de um aquecedor de passagem que permite verificar se a chama está presente.
VR (RV)- Veículo de recreação (do inglês, recreational vehicle). Um veículo de recreação é um equipamento transportável, motorizado ou não motorizado, que possui no mínimo uma cama para dormir. Entre eles se incluem os treilers, motorcasas, campers e carretas-barraca.
 W
Winegard – fabricante americano de antenas e receptores de sinal de TV para VR. Entre seus
produtos o mais difundido é o de recepção VHF/UHF. Atualmente a demanda do mercado americano é por antenas automáticas para recepção de sinal de satélite.
 X
Xantrex – fabricante mundial de inversores e carregadores de baterias. Veja detalhes destes produtos em http://www.xantrex.com/

Xenon – Tipo de farol com iluminação azul-prateada (gás xenônio) encontrado nos carros mais modernos.

Créditos:

Por: José Adauto de Souza
sugestões/inserções/correções �� envie para adautosouza@globo.com adautosouza@globo.com
Permitido o uso/impressão particular. Se usado em publicações, citar a referência bibliográfica
colaboradores: *01 Jorge Vieira da Silva Amigos do Rio (Rio-RJ)
*02 Gilberto Stroppa Grupo Pé na Estrada (Tietê-SP)
*03 Ênio Rosseti camaradahome.com.br

Caso queira baixar em PDF vá em:
http://www.grupoamigosdorio.com.br/artigos/Glossario.pdf





16/08 Campismo e Comunidade:Museu da Arte Sacra do Piauí completa 6 anos

Transmitido ao vivo há 3 horas NÓS DE JOINVILLE's broadcast 16/08/17 with CameraFi Live Descrição: -Museu da Arte Sacra do Piauí complet...

Total de visualizações de página

Live qua/17:00h dom/21:00h

Participe com Chat, clique no ícone do youtube acima

Todos os Programas

Todos os programas gravados

Loading...

Nós de Joinville - YOUTUBE

Vídeos legais de motor homes

Loading...

Seguidores sejam bem vindos! obrigado por estarem aqui.

Google+ Followers