Coluna do James Klaus - Veículos

James Klaus é jornalista, nascido em Joinville, no estado de Santa Catarina, pesquisa o campismo no Brasil e no exterior. Realizou visitas a campings e fabricantes de equipamentos na Alemanha e também acompanha a evolução do setor no Brasil. Trabalhou como redator/ apresentador na TV Babitonga (Canal 9 em Joinville) e trabalha na web TV Nós de Joinville, canal internacional especializado em campismo e comunidade desde 2008. No jornalismo impresso, é colaborador da revista MotorHome e do jornal JNB, onde escreve a coluna Veículos e a coluna Comunidade.

james.klausmiers@gmail.com
www.nosdejoinville.com.br





25/08/15


Carro elétrico em 1972- O futuro de ontem


Protótipo está no BMW Museum, aberto ao público

Há quarenta anos o carro estreou durante os Jogos Olímpicos de Munique







Na época, era comum erguer o capô do veículo e verificar um motor de quatro cilindros à gasolina. Mas com o BMW 1602e era diferente; em vez do motor comum, uma dúzia de baterias de 12 volts. Fabricadas pela Bosch, eram a força motriz do carro elétrico. 

Motor a bateria tem emissão zero de poluentes



Testado há quarenta anos, o protótipo cor laranja brilhante teve o projeto trancado a sete chaves pela montadora. Mas recentemente arquivos com vídeos demonstrativos foram liberados. O projeto foi colocado em prática para comemorar os Jogos Olímpicos. Dois carros elétricos serviram para transportar autoridades – e dessa forma impressioná-las- e também para acompanhar maratonas sem incomodar com os gases da queima do petróleo.


                        Planta baixa do primeiro carro elétrico da BMW Fotos: BMW Group





Marco tecnológico



O protótipo de 1972 foi a base de pesquisa para os atuais modelos de ponta i3 e i8, modelo esportivo. Claro que na atualidade há um incremento tecnológico que aumenta a autonomia, bem diferente da década de 1970. Naqueles tempos, o veículo elétrico percorria apenas 60 quilômetros, consumia 32 KW e precisava ser recarregado.



A BMW previa uma suposta escassez de petróleo e pretendia ser a primeira a disponibilizar carros com combustível alternativo no mercado mundial. É possível contemplar um dos carros elétricos de 1972 no museu da fábrica BMW Museum, em Munique (München), no estado da Bavária (Bayern).



Texto: James Klaus

Fonte de pesquisa: www.bmwgroup.com





27/07/15

Rodas da morte


Pneus recapados colocam a vida de motoristas em risco


O sangue na mureta divisória da BR-101 contém partes de pele com cabelo. O piloto esta mais a frente, aparentemente sem sinais vitais e próximo da moto na qual viajava a instantes atrás. O cenário descrito é o de um acidente ocorrido por volta das 11h de quinta-feira (09), no Km 75 da BR- 101, em Araquari. Mas as causas do acidente, ou seja, o recape do pneu de um caminhão que se soltou aleatoriamente e sem aviso mostra o risco real oferecido nas estradas.



Segundo o relato da Polícia Rodoviária Federal, o pneu - recapado- de uma Scania/T113 de Sombrio, estado de Santa Catarina, estourou e a parte que se desprendeu ficou sobre a pista. A moto Yamaha 125 de Joinville atingiu o destroço e o piloto perdeu o controle. Com a queda, o capacete saiu da cabeça e o condutor da moto bateu com o crânio na mureta divisória. Os ferimentos foram gravíssimos, segundo os socorristas da Autopista, a vítima foi encaminhada pelo helicóptero Águia para o Hospital São José, pois a situação era delicada. Na última atualização fornecida pelo hospital, o motociclista permanecia em coma.

Segundo os patrulheiros da PRF-SC, o motorista do caminhão disse não ter visto o acidente com a moto acontecer e por isso seguiu viagem. Mas ele foi abordado na Unidade Operacional da PRF de Barra Velha e lá confessou que`` viu que o pneu estourou e que o recape tinha saído, mas disse que não parou porque o movimento na rodovia era muito grande``, alegou. Ele foi detido e encaminhado à Polícia Civil de Araquari por conduta negligente.



Mas o questionamento proposto e em relação ao tipo de fiscalização feita nas empresas recapadoras de pneus; também quanto à orientação dada ao cliente em relação à fadiga do material desses pneus. Uma questão a ser cobrada pela sociedade, pois o que se vê são motoristas que afirmam não ter controle sobre a situação de estouro de pneu. “A gente roda e troca só quando vai ficando liso. Não dá para adivinhar quando vai explodir”, diz o caminhoneiro Osvaldo Celestino Dalpra em entrevista ao JNB. Sentindo-se afrontado, ele questiona a condição das estradas e o alto preço dos pneus novos, que segundo ele, são valores proibitivos.








22/04/15

Sistema para evitar furto de veículos é procurado por motorista


O eletricista automotivo trabalha discretamente, longe dos olhos curiosos de outros clientes. Ao final do trabalho de instalação do dispositivo antifurto, chama o cliente e demonstra o funcionamento, sempre procurando não chamar a atenção. Ele também não autoriza a equipe de jornalismo a fotografar o momento da instalação e acoplamento ao sistema eletrônico do carro. “Tem que ser segredo, assim, garanto que o cliente saia com a localização do botão de acionamento sem ser conhecida por mais ninguém”, diz Alexandre Eduardo Guerrenho, dono de uma auto elétrica no Costa e Silva, zona norte de Joinville.
A Secretaria de Segurança Pública de Santa Catarina divulgou dados que apontam que dois mil boletins de ocorrência foram registrados em Joinville em 2014 por furto de veículos. Somados a esse número assustador, 565 roubos foram feitos contra motoristas. Sem dúvida, o assalto à mão armada é a modalidade criminosa mais temida pelos motoristas, pois estes ficam sob a ameaça do ladrão armado, na maioria das vezes, com arma de fogo. Somente nos dois primeiros meses de 2015, dois joinvilenses perderam a vida em tentativas de latrocínio.
Por conta disso, muitos proprietários estão optando pela instalação da chave geral, um dispositivo que interrompe o funcionamento do veículo momentos após o carro ser tomado de assalto ou furtado. A instrução dada aos clientes é a mesma recomendada pela Polícia Militar, ou seja, não reagir em caso de assalto. Quanto ao carro levado pelo ladrão, melhor ter um seguro e sistema antifurto, o que aumenta as chances de reaver o bem.



25/03/15

Mais uma vez voltamos a falar do assunto Extintor ABC


O Denatran adiou nesta quarta-feira (25) por mais 90 dias a obrigatoriedade do uso do extintor veicular do tipo ABC. A nova data prevista para início da fiscalização será 1º de julho.


A multa começaria em 1º de janeiro deste ano, mas, no dia 7 daquele mês, o governo anunciou o primeiro adiamento da exigência, para 1º de abril.

Um  pouco antes da medida entrar em vigor, os consumidores reclamam da falta do item no comércio então houve o adiamento.

Qual a diferença, e quem deve trocar?

O extintor do tipo ABC é mais completo do que o BC, utilizado por alguns veículos. O novo modelo também é eficaz no combate a incêndios em materiais como madeira e tecidos, comuns no interior dos carros. O extintor ABC tem validade de 5 anos.

Uma resolução do Contran de 2004 estabeleceu que, a partir de 2009, todos os veículos deveriam sair de fábrica com o extintor do tipo ABC. Porém, a medida foi derrubada, e voltou a valer em 2009. Com isso, mesmo modelos produzidos entre 2004 e 2009 podem conter o equipamento do tipo BC.

Vale lembrar que o adiamento não desobriga o uso de um extintor automotivo, com prazo de validade em vigência. O não uso, ou uso de um item vencido também é passível de multa.






23/03/15
Foto: Divulgação/Volkswagen Passat Alltrack 2015

Passat europeu 4X4


Modelo exclusivo para a Europa é offroad e vem com suspensão mais robusta

Foto: Divulgação/Volkswagen Passat Alltrack 2015


O debute foi em março de 2015 na Suíça durante o 85º edição do Salão Internacional de Genebra. A Volkswagen apresentou a nova geração do Passat Alltrack, uma variação do Passat Variant com proposta offroad. Ele vem com tração integral 4Motion, novos formatos de para-choque, proteção na parte inferior da carroceria, soleira nas portas e protetores extras nas caixas de roda. A VW incrementou a suspensão e esta foi elevada em 27,5mm. Estas modificações servem para melhorar a performance e a condução em estradas rústicas.

O seletor de condução do Alltrack garante mais aderência em pisos irregulares ou escorregadios, modificação feita pensando na proposta aos motoristas aventureiros. A grande sacada do modelo Passat fica por conta do inédito sistema para manobrar reboque – Trailer para caravanismo. Trata-se do sistema Trailer Assist que possibilita o estacionamento configurado por computador, ou seja, o motorista controla a aceleração e a frenagem enquanto observa o sistema multimídia controlar o volante automaticamente. Segundo o site da Volks, isso auxilia nas manobras em ambientes com pouco espaço a exemplo de garagens e boxes de campings.

A motorização se apresenta em duas versões: turbo à gasolina e turbodiesel, com as respectivas potências que vão de 110 a 240 cv. Já o câmbio pode ser manual ou automático de dupla embreagem (DSG) de seis marchas. O Alltrack – ou “toda trilha”- é uma “mão na roda” para os aventureiros, mas infelizmente não será vendido no mercado brasileiro; os alemães também terão que esperar até setembro deste ano para adquirir a novidade no velho continente. O preço da “joinha”? Em torno de R$ 120 mil. Assim que encomendar o meu, passo o preço exato –em Euros- para vocês, beleza?

Texto: James Klaus



Fonte de pesquisa: www.volkswagen.de


23/02/15

Alemão, “uma vez”: BMW 225i Active Tourer chega ao Brasil

Foto: Reprodução

Com motor 2.0 turbo de 231 cv com tração dianteira, a BMW lança o 225i Active Tourer, o primeiro monovolume da marca no Brasil. O modelo custará a partir de R$ 178.950

O segmento de minivans de alto luxo está em baixa, e o 225i praticamente não tem concorrentes em nosso mercado, exceto a perua Volvo V60, muito maior em tamanho e com preço similar. O motor 2.0 turbo de quatro cilindros tem câmbio automático de oito velocidades e a tração é dianteira, ou seja, características inovadoras no mercado brasileiro. Segundo o fabricante, o 225i Active Tourer alcança 100 km/h em 6,6 segundos e com velocidade máxima de 240 km/h. Tecnologias como sistema Start/Stop, modo de condução Eco Pro e regeneração de energia nas frenagens que auxiliam na economia de combustível.
Uma qualidade dessa BMW é o amplo espaço interno e a flexibilidade de posicionamento dos bancos, que podem se ajustar e disponibilizar uma capacidade de carga entre 468 litros e 1.510 litros (com os bancos totalmente rebatidos).
A nova BMW vem com ar-condicionado automático digital para a dianteira e traseira, tem sistema de entretenimento ConnectedDrive; em termos de segurança, o modelo tem seis air bags, controles de estabilidade e tração – frenagem inteligente – abertura e fechamento automático do porta-malas e rodas de liga leve de 18 polegadas. Mas o “precinho” não deve reduzir do anunciado: custará a partir de R$ 178.950. Mein lieber Gott!!!



04 de fevereiro 2015

Sem estepe externo





Ford Eco Sport virá sem estepe trazeiro, a novidade deve começar a chegar a partir de maior deste ano

A partir de maio o EcoSport terá versão sem estepe externo. Inicialmente, a mudança será implementada na EuropaFord, responsável pela distribuição do modelo na Europa. Segundo o site da empresa, a mudança é uma reação ao fraco desempenho nas vendas do SUV em 2014 no “velho mundo”. O estepe do EcoSport atual é afixado ao porta-malas, portanto é movimentado sempre que o acesso ao compartimento é necessário, o que não é prático para alguns proprietários do modelo. A suspensão e o acabamento interno também serão modificados, receberão material plástico reforçado, tudo com o objetivo de combater comercialmente os concorrentes mais próximos, como o Peugeot 2008, o Renault Captur e o Opel/ Vauxhall Mokka.
Segundo o site Web Motors, desde abril até novembro de 2014 foram vendidas 11.257 unidades, contra 149.701 do Renault Captur, por exemplo. O preço do SUV não sofrerá aumento para o consumidor final europeu, pois é importado da Índia e a pressão para manter-se naquele mercado é grande. Quanto ao modelo comercializado no Brasil, a marca não informou sobre futuras modificações para os consumidores tupiniquins. Se o proprietário do JNB, o jornalista Jacson Carvalho, “passar a serra” no suporte do estepe de sua EcoSport, vai ter um SUV estilizado nos padrões europeus.
Harley-Davidson elétrica

A famosa fabricante das lendárias Harley acompanhará a atual tendência de veículos mais econômicos, sustentáveis. O Project LiveWire prevê a substituiçãodos seus poderosos motores V-twin pelo propulsor completamente elétrico. A demonstração da primeira Harley do Project LiveWire já percorreu parte dos EUA para demonstrar a capacidade do motor e obter um feedback dos apreciadores. Em 2015 a motoca deve chegar às concessionárias canadenses, mercado em que atua com sucesso.
A mudança só ficará mesmo no motor, pois o projeto da Harley Davidson LiveWire propõe um design agressivo, esportivo e dimensionamento imponente. Segundo a fabricante, o motor tem autonomia máxima de 201 km e a recarga das baterias são completadas entre 30 e 60 minutos, ou seja, o tempo de fazer um “lanchinho”. Se o “troço” anda? Segundo a Harley ela continua um “foguete”, ou seja, acelera de 0 a 100 km/h em 4 segundos. A pergunta que fica é: mas e o tradicional ronco? VRUMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMM


12 de janeiro 2015


Andarilha do Bem

Andarilha do Bem
Morgana, moradora de Navegantes-SC, já rodou em um ano e três meses mais de 100 mil quilômetros pelas estradas do nordeste brasileiro abordando caminhantes e pedintes. Ele lhes oferece roupas, uma refeição feita dentro do motor casa e cestas básicas, tudo adquirido por meio de doações. Ela pegou a estrada com sua casa sobre rodas na sexta-feira (12) rumo a mais uma missão de aliviar, mesmo que temporariamente, a dor, o frio, a fome e a solidão dos desprovidos. “De tudo o que mais me comove são as pessoas de idade que vivem perambulando pelas estradas. 

Entre tantos, conheci um senhor de 84 anos, condenado a morrer na solidão da beira das estradas como tantos outros”, disse em entrevista a um jornal. 
and velho  
Noeli Pereira de Andrade, a Morgana, tem 54 anos e renunciou as riquezas do mundo e passou a dedicar-se aos necessitados. Ela criou a Associação Andarilha do Bem para oficializar e prestar contas das doações. Para auxiliá-la nesta missão, acesse o site e escolha a forma de doar no Facebook (Andarilha do Bem) ou pelo fone (47) 9168-6969. Natal é também uma boa época para avaliarmos nossa jornada, torne-a ainda mais especial ajudando os necessitados.
and velho 2

05/01/15 17:20

Extintores em extinção

Atenção: 05/01/2015 20h50

Denatran vai adiar por 90 dias exigência do extintor do tipo ABC para carros.A medida foi tomada devido à falta do equipamento no mercado.

Norma está em vigor desde 1º de janeiro. 

O desacordo é infração grave, gera multa de R$ 127, 69 e cinco pontos na CNH




Clodoaldo chega a um posto de combustíveis na manhã de sábado, 03 de janeiro e pergunta meio desanimado ao atendente:

- Me diz que vocês têm extintor “ABC” para vender.

Clodoaldo é, segundo o gerente Robson -do posto localizado na Rua Inambú, no Costa e Silva- apenas mais uma entre as centenas de pessoas que procuraram pelo item durante o feriadão da virada. O gerente garante que se tivesse 200 extintores categoria ABC em estoque teria vendido todos. Mas todos os 15 extintores – média de estoque – foram vendidos antes mesmo do natal. Agora Clodoaldo, ferramenteiro e que pretende buscar a família em Itapoá, está convencido dos rumores que ouviu na empresa. “Me disseram lá na firma que não tinha mais extintor à venda, achei que era conversa fiada. Pois vim procurando nas rodovias desde Itapoá e nada. Cheguei a procurar em Guaratuba, no Paraná, mas também não tinha mais. Preciso ir buscar a família na praia e não queria ir desfalcado, mas o jeito é arriscar assim mesmo”. E partiu.

Uma das distribuidoras de extintores em Joinville, a Extinchamas, foi procurada pela equipe do NDJ. O vendedor Anderson Pacher informou que a venda do acessório aumentou significativamente e a falta do produto realmente aconteceu. “A procura está muito grande e dependemos do fabricante em São Paulo para repor os estoques. Uma rede de postos de combustíveis de Joinville me pediu 400 extintores, tem outros clientes pedindo urgência, o que é reflexo da demanda”. Ele comentou ainda sobre a adaptação do suporte do extintor modelo ‘gordinho’, comum nos veículos Fiat, nos veículos equipados com o suporte do modelo “universal”, um extintor mais comprido como solução à incompatibilidade de encaixes.

Segundo Gilmar Meurer, proprietário da empresa, a necessidade da troca do item obrigatório nos veículos não é novidade, pois foi anunciada em 2009. Ele reconhece que a publicização recente da obrigatoriedade pela mídia provocou uma correria e o produto sumiu das lojas. “Um fabricante de extintores me deu prazo de 200 dias para entregar o pedido feito em dezembro. Acho que quem deixou para a última hora terá dificuldades para comprar, pois além de estar em falta, a especulação de preços já começou. Ouvi dizer que tem ponto de venda cobrando até R$ 120, quase o dobro do preço normal”, disse.

Extintores em extinção: mais 90 dias de prazo para se regularizar

A Lei

“A Resolução nº 333/2009 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) estabelece que a partir de 1º de janeiro de 2015, os veículos automotores só poderão circular equipados com extintores de incêndio com carga de pó ABC.

Nos termos da Resolução nº 157/2004, alterada pela Resolução nº 333/2009, são estabelecidos os seguintes prazos:

· A partir de 01/01/2005, todos os veículos saem de fábrica equipados com extintor de incêndio fabricado com carga de pó ABC.

· Para os veículos fabricados até 31 de dezembro de 2004, a partir de primeiro de janeiro de 2005, o extintor de incêndio com carga de pó BC deverá ser substituído, até o vencimento da validade do teste hidrostático, por extintor de incêndio novo com carga de pó ABC.

· A partir de 1º de janeiro de 2015, os veículos automotores só poderão circular equipados com extintores de incêndio com carga de pó ABC.

A fiscalização deverá ser realizada por órgãos executivos de trânsito, responsáveis pela via, a partir de 1° de janeiro de 2015.

O descumprimento do disposto na resolução n° 333 do Contran sujeitará ao infrator à aplicação das sanções previstas no artigo 230, incisos IX e X do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) que diz:

IX - sem equipamento obrigatório ou estando este ineficiente ou inoperante;

X - com equipamento obrigatório em desacordo com o estabelecido pelo CONTRAN;

Infração - grave; (R$ 127,69 + cinco pontos na carteira de motorista)

Penalidade - multa;

Medida administrativa - retenção do veículo para regularização”.

(Fonte: Assessoria de Comunicação do Ministério das Cidades/Denatran)



O extintor ABC é descartável, tem validade de 05 anos e extingui chamas de materiais que o tipo BC não combate com eficácia.

Atenção

Nota de ultima hora, recebemos notícias depois de publicar essa matéria:



05/01/2015 20h50

Denatran vai adiar por 90 dias exigência do extintor do tipo ABC para carros.
A medida foi tomada devido à falta do equipamento no mercado



O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) anunciou nesta segunda-feira (05) que vai adiar por 90 dias a exigência do uso do extintor do tipo ABC para carros. A medida passou a valer no dia 1º de janeiro. A medida foi tomada devido à falta do equipamento no mercado.

O prazo passará a contar a partir da publicação no Diário Oficial da União. Os motoristas que descumprissem a medida deveriam pagar multa de R$ 127 e perder 5 pontos na carteira. Motoristas de diversas regiões do país encontraram dificuldades para encontrar o equipamento.
Fonte:



Arrefecimento: Trânsito lento pode superaquecer o radiador


03/12/14

Definitivamente a situação de congestionamento nas rodovias que acessam as praias da região não devem mudar. Pelo contrário, devem piorar. Isso porque as filas já se formam no trajeto de ida, como por exemplo, na BR-280 em Araquari.
O congestionamento quase sempre inicia às sextas-feiras, quando é comum passar horas no trânsito entre o bairro Itinga e o Colégio Agrícola no Km- 27. 

E é nessa hora que o radiador precisa estar em boas condições de funcionamento. Um motor superaquecido provoca situações desagradáveis e algumas vezes vexatórias. Imagine-se parado em um congestionamento sob um calor infernal e repentinamente uma espécie de fumaça surge sob o capô. 

O motor do carro superaqueceu. As causas podem ser várias, mas o bom funcionamento do termostato já é uma garantia de que a temperatura do motor está sob controle. Ele pode te pregar esse susto, mas fez sua parte.
 A válvula termostática controla o fluxo da água, que passa pelo bloco e vai para o radiador para arrefecer o sistema. 
A abertura dessa válvula aumenta ou diminui proporcionalmente à temperatura.O termostato é um dos principais componentes do complexo sistema de arrefecimento, integrado por diversos outros elementos, como radiador, ventoinha e bomba d’água.

Um sistema de arrefecimento funcionando corretamente, na temperatura ideal, só traz benefícios ao motor, pois ele ganha em durabilidade, economiza combustível e emite menos poluição no ar. Por isso, a troca do fluído de arrefecimento, uma mistura de água e aditivos específicos, é de extrema importância na manutenção preventiva de um veículo.

A função do aditivo de arrefecimento é transformar a água num fluído adequado ao bom funcionamento e proteção do sistema de arrefecimento do motor.         Segundo o mecânico e proprietário do Centro Automotivo RMS, Rodrigo Souto “O líquido faz a troca de calor, ganhando calor quando passa pelo motor e perdendo ao passar no radiador. 

Existem vários aditivos para arrefecimento no mercado brasileiro, mas o mecânico deve usar aquele recomendado pelo fabricante. Tem que cuidar com os líquidos de má procedência, oferecido por pessoas que não entendem de mecânica e só querem vender. 
Para não se incomodar, tem que usar produtos certificados e homologados”, explica o profissional com 16 anos de experiência.

Para evitar que o motor ferva e você tenha prejuízos com guincho ou socorro emergencial – nem sempre baratos – recomenda-se que a troca seja feita sempre no período indicado pelo fabricante, conforme os manuais, que em alguns modelos de veículos indicam a primeira troca em torno dos 30 mil km ou um ano de uso, podendo chegar a até 120 mil km ou 5 anos, de acordo com o tipo de aditivo.


Venom GT: Fabricante americana quer desbancar o próprio modelo

Foto: www.forbes.com
25/11/14

Lançado em fevereiro pela Hennessey, o Venom GT pode perder o título de automóvel mais veloz do mundo. Ele será desbancado pelo próprio fabricante, que criou um modelo para superá-lo para um modelo criado para superá-lo e futuramente substituí-lo.
A máquina revolucionária é o Venom F5, que vem com motor biturbo oito cilindros – em “v” – de 7.0 litros e potência final de 1.400 cavalos. Segundo a fabricante americana Hennessey, o “foguete” pode atingir 466 km/h, ou seja, mais veloz do que o Venom GT, que atingiu 435,31 km/h em um teste realizado no Centro Espacial Kennedy (USA). Aliás, o nome F5 faz menção à velocidade mensurada pela escala de Fujita (que categoriza os tornados de acordo com a velocidade do vento) em tornados da categoria F5, fenômeno comum no estado do Texas, berço de nascimento do Venom.
Mais leve

O peso do novo Venom diminuiu com a moderna carroceria em fibra de carbono, que também é mais resistente, limitando em 1.300 kg. O F5 vem com tração traseira, transmissão manual de seis marchas com embreagem simples (com a troca de marchas feita no volante), e com o futurístico sistema de controle de tração baseado em GPS, permitindo a mudança da calibragem do veículo de acordo com o circuito escolhido.
Somente 30 unidades Venom F5 serão produzidas e o preço fica em torno de US$ 1,2 milhão de dólares, mais ou menos – pois a cotação do dólar varia – R$ 2,7 milhões. Mais da metade da produção programada já está vendida, portanto, caro leitor, faça sua encomenda. Como diz o dito, “dinheiro na mão é ventania”!

Recall da Fiat





Foto Divulgação internet


A Fiat publicou um recall em 22 de setembro em alguns modelos do Punto, Idea, Doblo e Bravo para corrigir falhas na caixa de câmbio

Quem é proprietário de um dos 86.986 carros de 13 versões do Punto, Idea, Doblo e Bravo deve ficar atento. A Fiat publicou um recall em 22 de setembro desses quatro modelos para corrigir falhas na caixa de câmbio. As falhas, segundo a montadora, dificultam o engate da primeira marcha, podendo provocar transtornos ao motorista e até acidentes.

O recall se dá em duas etapas e em dois reparos diferentes. No primeiro, os modelos Punto Essence, Punto Essence Dualogic, Idea Adventure, Idea Sporting e Idea Sporting Dualogic precisam trocar o óleo lubrificante da caixa de câmbio, serviço que deve ser realizado somente em oficinas autorizadas. De acordo com a marca, a medida serve para “adequá-los às especificações previstas no Manual de Uso e Manutenção”. Os veículos listados foram fabricados entre 1º e 22 de fevereiro de 2014.

Na segunda etapa de reparo, os modelos Punto T-Jet, Doblo Adventure, Idea Adventure Dualogic, Idea Essence, Idea Essence Dualogic, Bravo Sporting, Bravo Sporting Dualogic, Bravo Absolute e Bravo Absolute Dualogic terão que substituir o óleo lubrificante da caixa de câmbio e componentes da engrenagem da primeira marcha, nos casos dos carros com mais de 40 mil km rodados. Este problema afeta as unidades fabricadas no período de 1º de fevereiro de 2012 a 22 de fevereiro de 2014.

Segundo o Procon-SP, é importante que o proprietário siga as instruções da Fiat da campanha de chamamento. Mais importante ainda é o proprietário exigir o comprovante desse reparo e conservar esse documento comprobatório, pois deve ser repassado adiante em caso de venda. Os veículos que não atenderem ao recall trarão a informação do não atendimento no campo “observações” do próximo Certificado de Registro e Licenciamento (CRLV), conforme determinado pela Portaria Conjunta nº 69 de 15/12/2010, da Secretaria de Direito Econômico e do Diretor do Departamento Nacional de Trânsito. Para agendar seu recall ligue no número 0800 707.

Modelos que precisam de recall


- Punto Essence e Punto Essence Dualogic
Fabricação: 1º de fevereiro de 2012 a 22 de fevereiro de 2014
Chassi: 1194449 a 1296320

- Punto T-Jet
Fabricação: 1º de fevereiro de 2012 a 22 de Fevereiro de 2014
Chassi: 1194671 a 1295853

- Doblo Adventure
Fabricação: 1º de fevereiro de 2012 a 22 de Fevereiro de 2014
Chassi: 1091042 a 1113929

- Idea Adventure Dualogic, Idea Essence, Idea Essence Dualogic
Fabricação: 1º de fevereiro de 2012 a 22 de Fevereiro de 2014
Chassi: 2207056 a 2263233

- Bravo Essence, Bravo Essence Dualogic, Bravo Sporting, Bravo Sporting Dualogic, Bravo Absolute e Bravo Absolute Dualogic
Fabricação: 1º de fevereiro de 2012 a 22 de Fevereiro de 2014
Chassi: 9014646 a 9034364

[Fonte de pesquisa: Revista Autoesporte].



Carros mais fáceis de consertar

Foto divulgação internet
Nem sempre o veículo mais barato oferece a melhor relação custo-benefício em longo prazo

A compra de um veículo novo ou seminovo muitas vezes é permeada por questionamentos que vão além do gosto individual pelo veículo. Escolhido o modelo, muitos vendedores ouvem uma pergunta tradicional: “Como é a manutenção desse carro, é fácil encontrar peças e mão de obra?”.
Isso acontece porque ninguém quer se incomodar com um carro recém-adquirido, seja ele novo ou não. Para isso, existem sites especializados que analisam os modelos mais tradicionais do mercado mensalmente e disponibilizam o resultado da pesquisa, portanto, vale a pena checar antes da compra.
Um deles é o Índice Car Group, que ranqueia os carros com os reparos mais fáceis e baratos de realizar do Brasil. Trata-se de um estudo realizado e divulgado pelo Centro de Experimentação e Segurança Viária (Cesvi) e que tem por objetivo comparar veículos de uma mesma categoria quanto à disponibilidade e o custo de seus reparos mais comuns.

Acidente para teste

Muitos dos resultados são obtidos através dos crash-tests dianteiros e traseiros dos veículos. São colisões monitoradas em condições controladas para que, na sequência, seja feita a análise dos danos em relação à cinemática (importância e tipo de movimento no momento do acidente). A partir daí, são relacionados os reparos necessários e as peças envolvidas para o restabelecimento completo e funcional do veículo sinistrado.
Para auxiliar na decisão de compra e consolidação dos melhores desempenhos, o ranking seleciona e apresenta na pesquisa os veículos que têm os menores custos na hora do concerto. Outro fator analisado é o tempo hábil de substituição, fornecimento e disposição do maior número de peças no mercado e, é claro, o preço da importação destas quando necessário.

Ranking julho 2014


Minivan média: C4 Picasso Citroën
Minivan compacta: C3 Picasso Citroën
Categoria Utilitário esportivo off-road – Jimny Suzuki
Utilitário esportivo: Ecosport Ford
Utiliário furgão curto: Transit Ford
SW compacta: Spacefox Volkswagen
Sedan médio: 408 Peugeot
Sedan compacto: Polo Sedan Volkswagen
Picape compacta cabine simples: Nova Saveiro Volkswagen
Hatch médio off-road: SX4 Suzuki
Hatch médio: 308 Peugeot
Hatch compacto off-road: Sandero Stepway Renault
Hatch compacto: Up! Volkswagen

[Texto: James Klaus].



Volta ao mundo de carro

Casal catarinense parte rumo ao mundo pela segunda vez


Uma Land Rover 4×4 transformada em motor casa, o desejo de conhecer novas culturas e a paixão pela estrada. Isso é o que move o jovem casal catarinense de São Bento do Sul, planalto norte de Santa Catarina, a encarar a segunda viagem intercontinental e os planejados 130 mil quilômetros a percorrer. De fevereiro de 2007 a dezembro de 2010, eles rodaram mais de 160 mil quilômetros durante quase três anos, a bordo da Land Rover, apelidada de “Lobo”, e que agora foi modificada para a nova aventura. A transformação foi feita em Araquari, Santa Catarina, por uma empresa especializada em construção de motor homes. O teto da Land Rover Defender 130 é escamoteável, ou seja, pode ser erguido e permite que os passageiros fiquem em pé quando estão acampados. No interior, o conforto de uma casa: fogão, geladeira, ducha, sanitário – portátil -, mesa e sofá que se transforma em cama de casal.

A primeira aventura resultou no livro “Mundo por Terra – Uma fascinante volta ao mundo de carro”, um diário de bordo com 386 páginas que relata as aventuras do casal são-bentense em 60 países. As dificuldades apareceram em diversos momentos, mas tudo compensava, diz Michelle: “Sabíamos que iríamos encontrar países pouco desenvolvidos, pobreza extrema, estradas precárias e falta de apoio mecânico, principalmente no interior da África. Em uma viagem dessas, o dinheiro é ‘curto’, mas problemas mecânicos inesperados te surpreendem e precisam ser resolvidos, não há o que fazer”, diz ela, se referindo ao episódio em que o alternador quebrara pela quinta vez.

Para a nova aventura,Roy diz que focou mais na preparação do equipamento. O roteiro da viagem, diz, pode ser alterado a qualquer momento do percurso. “Não existe muita regra para fazer uma viagem assim. Se você seguir um roteiro gerado no conforto de casa, em frente ao computador, vai encontrar muitas coisas lindas pelo caminho e não poderá aproveitá-las por conta do plano de viagem”, explica Roy. Ele também ressalta a importância da intuição e da lógica para tomar as decisões durante a jornada e que nessa nova etapa evitará ao máximo as cidades grandes. Segundo ele, a aversão se dá pela criminalidade, exploração das pessoas e do trânsito caótico da maioria delas.



Roy Rudnick e Michelle Francine Weiss já estão na estrada desde meados de agosto de 2014, em direção ao Alaska, de onde embarcam o veículo em um navio em direção à China, seguindo, na sequência, rumo ao Oriente Médio e Europa. A previsão de retorno é fevereiro de 2017. A viagem deve render mais um livro e um documentário, cujo título poderá ser “A história dos caminhos entre dois polos”.




Bateria automotiva: dicas

Foto: James Klaus


Precisar do carro e não conseguir ligá-lo porque a bateria descarregou é uma experiência desgastante


“Fiz todos os testes, troquei três baterias e o cliente voltava com o mesmo problema, o carro não ligava no dia seguinte”. A afirmação é do mecânico eletricista Alexandre Guerrenho, de 24 anos. Na investigação do motivo pelo qual a bateria do carro do cliente descarregava de um dia para o outro, surpreendeu-se com a causa.

Item fundamental em qualquer veículo, a bateria é responsável pelo fornecimento da energia de partida do motor e para acumular carga estável para o funcionamento de diversos dispositivos do carro. A vida útil depende do uso e da qualidade do acumulador, cujo preço pode variar em 30%. A adaptação de dispositivos eletrônicos não pertencentes ao veículo também influencia na duração de uma bateria.

O eletricista relata que sobrecarregar o sistema elétrico com som, luzes e outros aparelhos sem que haja um alternador com potência relativa é um dos fatores de desgaste da bateria. Hábitos como ligar luzes, som ou ar antes de dar a partida dão sobrecarga de até 60% na bateria, forçando seu limite, explica. Quanto ao som automotivo, descarregar a bateria totalmente, esgotando-a, diminui em muito a vida útil da bateria.

No caso “misterioso” do cliente do eletricista Guerrenho foi feita a inspeção completa da parte elétrica, mas ele não conseguia diagnosticar o problema: a cada manhã a bateria está “arriada”, explica. Foi então que solicitou ao cliente que deixasse o veículo na oficina durante a noite, e foi ali, com as luzes da oficina apagadas que desvendou o mistério.

-“Estava tudo em ordem com a bateria e o alternador carregava bem, em torno de 14 volts, que é o ideal. Quando inspecionei o farol traseiro novamente, percebi que o porta-malas estava claro, iluminado. Foi então que descobri que a luz interna do porta-malas não desligava quando a tampa fechava. A luz ficava acesa durante a noite toda e descarregava a bateria do meu cliente”.

Manutenção preventiva

Foto: James Klaus


- Instalar bateria com característica indicada pelo fabricante, nunca de potência inferior;
- Fazer testes elétricos a cada três meses em auto elétricas. Não deixar a bateria falhar para só então trocar;
- Limpar os terminais e os polos da bateria e verificar se estão bem fixos. Baterias ou cabos soltos podem causar curto-circuito;
- Evitar deixar faróis ou som ligados se o motor não estiver em funcionamento. Atenção especial à qualidade de dispositivos como alarmes, rastreadores ou travas, pois aqueles de qualidade duvidosa costumam “roubar” carga da bateria;

Segundo o fabricante Heliar, ligar o veículo por alguns minutos acreditando que assim estará recarregando a bateria é um mito. A recarga depende de diversos fatores e varia de acordo com o modelo do alternador, da bateria e do sistema elétrico de cada veículo. O correto em caso de bateria descarregada ou fraca é procurar um profissional especializado em elétrica automotiva. Seguindo as dicas acima a bateria terá vida útil bem aproveitada.



10.12 Campismo e comunidade - Encontro Asa Branca de Campismo em Lucena PB

Descritivo -Encontro do grupo Asa Branca na sede em Lucena na Paraíba-Uma ação social maravilhosa levou crianças da comunidade local para b...

Total de visualizações de página

Live qua/17:00h dom/21:00h

Participe com Chat, clique no ícone do youtube acima

Todos os Programas

Todos os programas gravados

Loading...

Nós de Joinville - YOUTUBE

Vídeos legais de motor homes

Loading...

Seguidores sejam bem vindos! obrigado por estarem aqui.

Google+ Followers